Procon alerta para cuidados em fim de semana prolongado

Algumas pessoas aproveitam essa oportunidade para viajar e o Procon dá algumas dicas para evitar surpresas desagradáveis

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201515h17

O mês de abril prevê um fim de semana prolongado logo em seu início, o dia 3 é Sexta-feira Santa; e o feriado de Tiradentes, dia 21, cai em uma terça-feira. Quem pode emendar a segunda-feira vai ter um fim de semana com quatro dias de descanso. Algumas pessoas aproveitam essa oportunidade para viajar e o Procon dá algumas dicas para evitar surpresas desagradáveis.

Pacotes de viagem

O custo do pacote de viagem, os dias de estadia e serviços inclusos devem estar claros no contrato.

Locação de imóvel

Se possível fazer vistoria prévia para ver se o anúncio corresponde à realidade. Detalhar as condições, se tem algo danificado, sujo etc. Se ão for possível, buscar informação com quem locou o imóvel antes.

O Procon não aconselha pagar integralmente a locação com antecedência. Guardar comprovante de todos os pagamentos e do contrato.

Se o voo for cancelado ou não tiver como decolar, a companhia eve oferecer outra data de viagem (Foto: Agência Brasil)

Meios de transporte

- No caso do consumidor desistir da viagem, tem de informar a empresa de ônibus com, pelo menos, 3h de antecedência e a companhia aérea com o mínimo de 4h. O respeito a esse prazo garante o ressarcimento do valor da passagem.

- No caso do atraso ser provocado pela empresa de ônibus, entre uma hora e três horas a empresa tem de providenciar o embarque por outra companhia; acima de três horas é obrigada a oferecer alimentação e hospedagem; e a devolver o dinheiro caso o passageiro assim deseje.

- A empresa de ônibus não pode cobrar taxa para bagagens até 30 quilos.

- Em atraso de uma hora causado por companhia aérea, a empresa deve oferecer acesso a telefone e internet; duas horas, alimentação; quatro horas de atraso ou mais, acomodação e transporte.

- Se o voo for cancelado ou não tiver como decolar, a companhia eve oferecer outra data de viagem ou o ressarcimento integral, à escolha do consumidor.

- Se ficar comprovado o overbooking (termo em inglês que significa vender um produto acima de sua capacidade), a empresa está sujeita a pagar indenização por dano moral.