Mais de 800 pessoas morrem no naufrágio do Mediterrâneo

Um porta-voz da base da ONU em Genebra, Adrian Edwards, alto comissário para refugiados, disse que terminou de entrevistar a maioria dos 28 sobreviventes

Comentar
Compartilhar
21 ABR 201512h15

A agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) diz acreditar que mais de 800 pessoas se afogaram quando um navio com imigrante tentando chegar à Europa naufragou no sábado configurando o pior incidente no Mediterrâneo.

Um porta-voz da base da ONU em Genebra, Adrian Edwards, alto comissário para refugiados, disse que terminou de entrevistar a maioria dos 28 sobreviventes.

Edwards disse nesta terça-feira que a agência acredita que mais de 800 pessoas morreram, "tornando este o incidente mais mortal no Mediterrâneo que se tem lembrança".

Edwards diz que acredita-se que cerca de 350 daqueles que estavam a bordo eram da Eritreia. Outras pessoas são da Síria, Somália, Serra Leoa, Mali, Senegal, Gâmbia, Costa do Marfim, Etiópia e Bangladesh.