Cubatão intensifica ações contra o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya

Agentes do Programa Municipal de Combate a Endemias intensificam as ações de bloqueio, controle de criadouros e nebulização para conter a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do zika vírus

Comentar
Compartilhar
25 MAR 2021Por Da Reportagem07h59
Esta semana na varredura pelo bairro da Ilha Caraguatá as equipes tentaram vistoria em 1251 imóveis, porém a visita foi efetivada em 528 casasEsta semana na varredura pelo bairro da Ilha Caraguatá as equipes tentaram vistoria em 1251 imóveis, porém a visita foi efetivada em 528 casasFoto: DIVULGAÇÃO/PMC

Os agentes do Programa Municipal de Combate a Endemias intensificam as ações de bloqueio, controle de criadouros (BCC) e nebulização para conter a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do zika vírus. Esta semana na varredura pelo bairro da Ilha Caraguatá as equipes tentaram vistoria em 1251 imóveis, porém a visita foi efetivada em 528 casas.

De acordo com a coordenadora do programa, Rosângela Jorge Chad, a maior dificuldade tem sido o número elevado de moradias fechadas. "É complicado. Em pelo menos 57% das casas que tentamos fazer o bloqueio ficamos sem acesso. É muito importante que o munícipe abra o domicílio para a gente", afirmou Rosângela. Ela destaca que os agentes estão sempre identificados com crachás e coletes.

O Programa atua conforme a demanda: a estratégia é realizar ações específicas em bairros que apresentam confirmações das doenças, como são os caso da Ilha Caraguatá e Parque São Luiz.

Estes bairros possuem pessoas infectadas pela dengue e também chikungunya. Assim, as equipes fazem uma varredura buscando locais que podem acumular água parada e orientando a população. Ainda de acordo com a chefe do Programa, o pessoal da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) – órgão estadual com sucursal em São Vicente – também está com ações no bairro Vale Verde.

A cidade de Cubatão registra neste ano de 2021, pelo menos 250 casos confirmados de dengue, 5 de chikungunya e nenhum caso de zica vírus. Não houve mortes ocasionadas por essas doenças nos últimos anos, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.