SEDUC

Baixada ainda precisa imunizar 165 mil pessoas contra a gripe

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe Influenza A (H1N1, H3N2) e B termina na próxima sexta-feira (31).

Comentar
Compartilhar
25 MAI 2019Por Caroline Souza08h57
Para se vacinar, é necessário apresentar documento de identificação com foto (RG ou CNH).Foto: NAIR BUENO/DL

Cento e sessenta mil munícipes da Baixada Santista ainda não se vacinaram contra a gripe. A Campanha Nacional de Vacinação termina na próxima sexta-feira (31). Conforme os últimos balanços das prefeituras, 412.972 pessoas já foram vacinadas em toda a região desde o início da campanha, em 10 de abril. A meta, somando as nove cidades, é imunizar 578.366.

De acordo com recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacina de 2019 previne a população contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B.

Em Santos, mais de 155 mil doses da vacina foram aplicadas. O público-alvo total é de 224 mil pessoas, com meta de cobertura de 90%, ou seja, 202 mil.

De acordo com a Secretaria de Saúde de São Vicente, pouco mais de 60 mil pessoas foram vacinadas. A meta é imunizar 97.668 munícipes.

Conforme último balanço de Guarujá, mais de 76 mil pessoas já foram vacinadas e a meta é imunizar um total de 90.631. "A palavra de ordem é: prevenção!. Por isso, pedimos a população que procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa e tome a dose, pois 14 mil pessoas ainda não se vacinaram na Cidade", alerta a enfermeira da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Guarujá, Ana Terezinha Lopes Plaça.

Praia Grande tem como meta vacinar 77.371 pessoas e, até o momento, 50 mil foram vacinadas.

Em Cubatão, 15.871 doses foram aplicadas. A meta de vacinação equivale a 22.400 pessoas.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza tem como meta imunizar mais de 17 mil pessoas em Bertioga até dia 31 de maio. Neste momento, a cobertura total é de 10.640.

Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe já imunizaram 12 mil, 18.815 e 13.600 mil pessoas, respectivamente. A meta dos municípios é de 17.613, em Mongaguá; 32.996 pessoas, em Itanhaém; e 20.687 em Peruíbe.

"É de grande importância que todos os grupos prioritários compareçam aos postos de saúde para imunização. Pedimos aos professores das redes pública e privada de ensino que deem o exemplo e tomem a vacina, o que ajuda a proteger a saúde deles próprios, dos estudantes e de todos os colaboradores da área de ensino", enfatiza o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

"A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, pois é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença", acrescenta.

Para se vacinar, é preciso comparecer aos postos de saúde e apresentar documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, sendo recomendado levar carteira de vacinação e Cartão SUS.