Antes de ser preso em Atibaia, Fabrício Queiroz também ficou escondido em Guarujá

De acordo com as investigações, o apartamento fica no Edifício Condomínio Guarujá, de frente para o mar, no meio da orla de Pitangueiras

Comentar
Compartilhar
25 JUN 2020Por Da Reportagem19h42
Edifício, em Guarujá, onde Fabrício Queiroz ficou escondidoFoto: Reprodução/Google Maps

Um novo capítulo no caso Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Enquanto o paradeiro de Queiroz não era localizado pelas autoridades do Rio de Janeiro para depoimento no caso das rachadinhas, ele residiu por período de cerca de cinco meses, entre o final de 2018 e o começo de 2019, em um apartamento no 10° andar em um edifício na Rua Petrópolis, 31, no bairro Barra Funda, em Guarujá, próximo à Orla de Pitangueiras. A revelação veio à tona na noite desta quinta-feira (25) em reportagem exclusiva do Jornal da Band.

O apartamento que abrigou Queiroz, com cerca de 200 metros quadrados, pertence à família de Frederick Wassef, advogado que é dono do imóvel em Atibaia, no interior paulista, onde Queiroz foi preso na manhã do último dia 18.

No domingo (21), dois dias após a prisão de Queiroz, Wassef deixou a defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) na investigação sobre as movimentações financeiras suspeitas quando Flávio era deputado estadual no Rio. Queiroz é apontado como operador financeiro do esquema sob investigação.

O Jornal da Band procurou Wassef, por telefone, e quando ele foi questionado pelo jornalista Rodrigo Hidalgo sobre o apartamento de Guarujá nada mais declarou.

Na reportagem foram ouvidos moradores, que relataram a rotina muito discreta de Queiroz enquanto residiu no Edifício Guarujá.

"No começo ninguém sabia que era o Queiroz. Porque o  o prédio tem muito poucos moradores. A maioria do pessoal que frequenta o prédio é turista. E ele chegou no final do ano (de 2018). No final do ano tem muitos turistas dentro do prédio. E o pessoal do prédio foi perceber que era o Queiroz depois do Carnaval", afirmou um morador.

Ainda segundo vizinhos, o ex-assessor de Flávio pouco saía, não conversa com ninguém e, na maioria das vezes, se limitava a descer para pegar comida pedida via aplicativo. Wassef era visto frequentando o edifício nesse período.

Mulher de Queiroz*

A mulher de Fabrício Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar, segue foragida após operação deflagrada nesta terça-feira (23) em Minas Gerais ter falhado em encontrá-la.

O Ministério Público do Rio de Janeiro e de Minas Gerais e a Polícia Militar do estado cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em endereços de parentes de Queiroz, em Belo Horizonte.

O mandado de prisão contra Márcia foi determinado pela Justiça de Rio junto ao de Queiroz.

*Com informações da Folhapress.