Ameaça de greve geral em Santos, leva Prefeitura a monitorar serviços

Executivo garante que serviços de limpeza urbana e zeladoria urbana e manutenção predial deverão funcionar normalmente

Comentar
Compartilhar
09 MAR 2017Por Da Reportagem07h00
UPA Central e Hospital dos Estivadores não estão sujeitos à greve, pois são geridos por organizações sociaisUPA Central e Hospital dos Estivadores não estão sujeitos à greve, pois são geridos por organizações sociaisFoto: Matheus Tagé/DL

A ameaça de greve geral dos servidores públicos municipais de Santos  prevista para hoje, com a união dos dois sindicatos da categoria - Sindicato dos Servidores Estatutários de Santos (Sindest) e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos - levou a Prefeitura de Santos a tomar providências para garantir o funcionamento de serviços públicos na cidade.   

“A Prefeitura de Santos reforça o monitoramento na rede pública para garantir a prestação dos serviços essenciais à população”, informou a Administração Municipal em nota enviada à imprensa.

“A Secretaria de Educação orienta os pais a ligarem para a escola dos filhos para saber se a unidade está funcionando e para o número 3211-1818 (das 8 às 18h) para esclarecer dúvidas”, continua a Prefeitura.

Porém, o Executivo garante que serviços de limpeza urbana e zeladoria urbana e manutenção predial deverão funcionar normalmente.

Unidades de saúde

“Todas as unidades de saúde serão abertas normalmente amanhã (hoje) e a Secretaria de Saúde trabalhará para que a população não seja prejudicada. Para isso, conta com a conscientização e habitual comprometimento dos servidores na realização dos serviços. Todos os ajustes que se mostrarem necessários serão realizados para manter a assistência. Vale lembrar que a UPA Central e o Complexo Hospitalar dos Estivadores, por serem unidades geridas por organizações sociais, não estão sujeitas à greve”, esclarece o Governo.

A Guarda Civil Municipal de Santos informa que vai reforçar a vigilância com ações em pontos sensíveis de prestação de serviço da Prefeitura. A presença da GCM servirá para garantir os servidores que não aderirem à greve o acesso ao trabalho.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos) informa que os agentes de trânsito atuarão normalmente, já que fazem parte da Administração Indireta e não têm relação com sindicatos de servidores municipais.

Servidores do Sindserv também vão parar a partir de hoje

A partir de hoje, os servidores municipais de Santos filiados ao Sindserv também vão entrar em greve contra a falta de reajuste salarial da categoria. A decisão foi tomada em assembleia, segundo o sindicato, em resposta ao anúncio do governo de não querer reajustar em nada os salários, nem mesmo repor a inflação.

A direção do Sindserv diz que a categoria também deliberou que só fará assembleia para apreciar uma possível contraproposta se a mesma for pelo menos igual à inflação do período. Ou seja, se o governo (finalmente) apresentar uma contraproposta, ela terá que ser igual ou maior do que 5,35%.

A categoria nos últimos dias realizou  reuniões setoriais onde debateram as especificidades do setor para melhor organizar a greve. 08/03 (quarta-feira): Todas as demais Secretarias.

O sindicato menciona que a decisão de entrar em greve foi tomada no mesmo dia em que o Governo anunciou que irá bonificar a Organização Social (OS) Fundação do ABC pelo serviço prestado à população. “Servidor não merece, a empresa privada merece”, diz o sindicato.

Também anunciou nesse mesmo dia que irá entregar a UPA da Zona Noroeste (novinha) para outra OS, enquanto que o hospital da mesma região (sucateado e caindo aos pedaços) continuará sendo o local de trabalho dos servidores.