Aécio Neves diz que candidatura de Marina é uma ‘sucessão de improvisos’

Em visita rápida a Santos, o candidato do PSDB à presidência também falou sobre descentralização dos portos

Comentar
Compartilhar
03 SET 201418h03

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, esteve rapidamente no início da tarde de hoje (3) em Santos. Ao lado do governador Geraldo Alckmin, do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, o tucano fez uma breve caminhada com militantes na Praça Mauá. Em meio a uma aglomeração de humoristas, jornalistas e cabos eleitorais, ele falou sobre descentralização dos portos e infraetrutura, e comentou que a candidatura de Marina Silva (PSB) é uma ‘sucessão de improvisos’. Antes de ir embora, o senador mineiro comeu pastel no tradicional Café Carioca.

“Defendemos a descentralização da gestão portuária no Brasil. Isso permitirá que os investimentos voltem aos portos brasileiros”, afirma o candidato. Segundo ele, o maior desafio de seu governo, caso seja eleito, será superar o gargalo de portos ineficientes e sem investimentos. “Vamos buscar atrair de novo o capital privado, que ainda não chegou aos nossos portos, porque o atual governo gera enorme insegurança em relação a esses investimentos. Nós teremos uma política externa que busca abrir novos mercados para quem produz no Brasil”.

Aécio Neves também comentou sobre a necessidade de ampliação da relação com o mercado internacional. “Vamos fugir desse alinhamento ideológico na nossa política externa, que benefício algum vem trazendo ao Brasil para que possamos fazer acordos com outros países e com outras regiões do mundo que busquem aumentar os mercados para quem produz aqui”, ressaltou.

O candidato do PSDB criticou o atual governo em relação à infraestrutura no Brasil. “Infelizmente nos últimos anos não tivemos avanços no marco regulatório das nossas ferrovias, o que tem impedido que investimentos privados também ajudem a diminuir o custo da produção e do escoamento da produção no Brasil”. O senador mineiro acredita que com o investimento em ferrovias e hidrovias, aliado à modernização dos portos e a descentralização da gestão portuária, o país poderá retomar o crescimento. “É essencial, mas infelizmente esse não é o quadro que vivemos hoje no Brasil”.

Aécio Neves e Geraldo Alckmin (PSDB) estiveram em Santos nesta quarta-feira (Foto: Matheus Tagé/DL)

‘Sucessão de improvisos’

Questionado sobre a alteração do programa de governo da candidata do PSB à presidência, Marina Silva, em relação à questão LGBT, o candidato do PSDB afirmou que a candidatura da socialista é uma ‘sucessão de improvisos’.

“Vejo na candidatura da Marina uma sucessão de improvisos. Diz hoje uma coisa, amanhã se diz o oposto a partir de determinadas pressões. Por outro lado a candidatura da Marina elenca um conjunto de boas intenções, mas não consigo ver ali as condições adequadas às mudanças que a maioria dos brasileiros busca”, afirma Aécio.

O candidato do PSDB também falou sobre a situação da candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff. “Eu estou convencido que a presidente da república perderá as eleições porque deixou o Brasil num quadro de inflação saindo do controle, recessão técnica e uma perda enorme da credibilidade do país junto a outros agentes econômicos”.