Entrada da Cidade

Deputado acusado de abuso sexual é encontrado morto nos EUA

O corpo de Dan Johnson, 57, foi achado em uma ponte com um único ferimento a bala

Comentar
Compartilhar
14 DEZ 2017Por Folhapress21h30
O corpo de Dan Johnson, 57, foi achado em uma ponte com um único ferimento a balaFoto: Associated Press

Um deputado estadual do Kentucky, nos Estados Unidos, que era acusado de abuso sexual de uma adolescente foi encontrado morto na noite de quarta-feira (14). A polícia trata o caso como suicídio.

O corpo de Dan Johnson, 57, foi achado em uma ponte com um único ferimento a bala, disse o coronel Dave Billings, da polícia local. Segundo ele, o deputado dirigiu seu carro até uma estrada afastada da cidade e então desceu do veículo. "Eu diria que provavelmente é suicídio", disse o policial.

Uma autópsia será feita ainda nesta quinta-feira (14) para confirmar a hipótese, disse ele.
Pastor da igreja Heart of Fire (coração de fogo), Johnson foi eleito deputado estadual em 2016 sem apoio da cúpula republicana. Líderes do partido pediram para ele abandonar a corrida devido a seus comentários racistas, entre eles um no qual comparava o casal Barack e Michelle Obama a macacos.

Como deputado, Johnson manteve um perfil discreto, no qual apoiava principalmente projetos ligado ao ensino religioso em escolas, até a segunda-feira (11), quando foi revelada a acusação de que ele abusou sexualmente de uma adolescente no porão de sua casa em 2013.

O caso foi revelado pela organização jornalística Kentucky Center for Investigative Reporting, que afirmou que a polícia chegou a investigar o assunto na época, mas decidiu não denunciar o pastor.

Na terça-feira (12), logo após o caso ser revelado, Johnson deu uma entrevista coletiva dentro da sua igreja. Ao lado de amigos e familiares, afirmou que as acusações eram "totalmente falsas" e parte de uma estratégia nacional para desacreditar a ala mais conservadora do Partido Republicano.

Na ocasião, ele se comparou ao colega de partido Roy Moore, candidato a uma vaga no Senado por Alabama e também acusado de abusar de menores -e que acabou sendo derrotado na própria terça pelo democrata Doug Jones.

Na quarta-feira (13), Johnson escreveu nas redes sociais uma mensagem na qual pedia para as pessoas cuidarem de sua mulher e dizia sofrer de estresse pós-traumático. "É uma doença que vai tirar minha vida, eu não posso mais aguentar. Derrotou esta vida, mas o céu e minha casa" dizia o texto, que depois foi apagado.

Michael Skoler, presidente da Louisville Public Media, que controla o Kentucky Center for Investigative Reporting, disse que todos na organização estão tristes com o ocorrido.

"Nosso objetivo sempre é mostrar ao público reportagens imparciais e baseadas em fatos para fazer os servidores públicos respondam por suas ações", disse ele. "Como parte de nosso processo, nós procuramos o deputado Johnson por diversas vezes ao longo dos sete meses de investigação. Ele sempre se recusou a responder sobre nossas descobertas".

A acusação contra Johnson acontece no meio de um escândalo de assédio sexual que envolveu outros quatro deputados republicanos na Assembleia Estadual, incluindo o presidente da Casa, Jeff Hoover, que renunciou ao cargo.

Além disso, denúncias de assédio derrubaram dois deputados federais e um senador na última semana nos Estados Unidos.

Colunas

Contraponto