Frente Sindical vai debater a reforma da Previdência

Sindicalistas da Baixada estão se mobilizando para esclarecer a população sobre a reforma da Previdência Social

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2017Por Da Reportagem10h30
Debate com especialistas será realizado amanhã no Sindicato dos PetroleirosDebate com especialistas será realizado amanhã no Sindicato dos PetroleirosFoto: Matheus Tagé/DL

De Brasília 

Uma das principais medidas do governo Temer, que enfrenta rejeição até mesmo entre deputados da base governista, a iminente votação da reforma da Previdência acendeu o sinal de alerta para o movimento sindical da região – majoritariamente contrário à medida proposta pelo governo. 

Para debater com a população os principais itens da reforma e, ao mesmo tempo, articular mobilizações conjuntas entre as entidades de classe da região, a Frente Sindical Classista da Baixada santista realiza amanhã, em Santos, o 1º Encontro de Formação e Mobilização com o tema “Desmonte da Previdência – o Futuro Roubado”.  

A atividade será realizada às 18h30, na sede do Sindicato dos Petroleiros (Avenida Conselheiro Nébias, 248), e terá dois palestrantes especialistas na área como convidados: Vilson Antonio Romero, presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIG); e Sérgio Pardal, advogado e professor especializado em Direito Previdenciário. 

“Em primeiro lugar, a população precisa saber com mais detalhes o que representa a reforma. Precisa saber que para receber o teto do INSS terá que trabalhar por 49 anos, que a idade mínima proposta para se aposentar é de 65 anos, que agora a contribuição mínima passa de 15 para 25 anos. São vários detalhes que afetam diretamente a vida de milhões de brasileiros que dependem das aposentadorias, após anos de trabalho, para sobreviver precariamente. Aí sim o cidadão terá condições de avaliar se é justa essa medida. Em nossa opinião, não é. E faremos o trabalho de conscientização para que o brasileiro saiba o que está ocorrendo e se sinta motivado a protestar”, afirmou Flávio Saraiva, presidente do Sindicato dos Servidores de Santos. 

Nos últimos dias, membros da Frente Sindical passaram a distribuir boletins informativos nas principais cidades da região, como Praia Grande, São Vicente e Santos, denunciando o que chamam de desmonte da Previdência.

 “Muita gente ganha com essa reforma. Os fundos de pensão do setor privado, que passam a receber grande procura. Os patrões, que passarão a gastar menos. E o governo, que diminuirá custos e engordará a receita para despejar essa economia no sistema financeiro como pagamento da dívida pública. O trabalhador só perde. O aumento da expectativa de vida não é igual para todos, quem vive com menos e pior morre mais cedo. E quando morre em uma idade mais avançada, é numa situação de completo desamparo. Aliás, só os trabalhadores estão sendo penalizados por uma crise que sequer produziram”, ressaltou Fábio Mello, diretor do Sindicato dos Petroleiros. 

A Frente Sindical Classista da Baixada Santista, formada em novembro de 2016, é formada por sindicatos e oposições sindicais da região, como os sindicatos de petroleiros, servidores de Santos, bancários, trabalhadores do Judiciário Federal e Estadual, advogados e metalúrgicos.
 
Serviço

1º Encontro de Formação e Mobilização com o tema “Desmonte da Previdência – o Futuro Roubado”. Dia 7 de março, às 18h30, no Sindicato dos Petroleiros (Av. Conselheiro Nébias, 248, Vila Mathias).