Banner gripe

Áudio ameaçando trabalhadores que furarem a greve não partiu do sindicato, diz Estivadores

A greve dos 3,5 mil estivadores de Santos está em seu sexto dia

Comentar
Compartilhar
06 MAR 2019Por Da Reportagem15h36
Sindicato dos Estivadores afirma que não reconhece a voz da pessoa que realizou os comunicados.Foto: Nair Bueno/DL

Áudios ameaçando estivadores que furarem a greve circularam pelo aplicativo de mensagens WhatsApp na manhã desta quarta-feira (6). O Sindicato dos Estivadores, porém, afirma que não reconhece a voz da pessoa que realizou os comunicados. A greve dos 3,5 mil estivadores de Santos está em seu sexto dia.

Em um deles, um homem ameaça os trabalhadores vinculados, dizendo que haverá linchamento e agressões com skate na Praça Palmares em Santos ou em outros lugares.

Em nota enviada à reportagem, o sindicato afirma que nenhuma ameaça partiu da diretoria.

"Nossa manifestação é pacífica e de conscientização para que o trabalhador vinculado apoie a greve que é de todos os Estivadores, em busca de uma tentativa de reunião com a Câmara de Containers, para que eles apresentem uma proposta ao contrário do Sindicato, que já enviou duas sobre a campanha salarial 2019".

Sopesp

Já a Câmara de Contêineres do Sindicato sos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) diz que manifesta total repúdio em relação às ameaças que estão sendo dirigidas aos seus colaboradores, vinculados de estiva.

"Como os trabalhadores não demonstraram apoio à greve decretada pelo Sindicato dos Estivadores, tais trabalhadores passaram a ser ameaçados por irem trabalhar. Veículos das empresas que transportavam estivadores vinculados foram interceptadas nas ruas e os colaboradores obrigados a interromper sua ida para o trabalho. Isso não é um movimento grevista. Isso é crime!", diz a nota.

Colunas

Contraponto