Projeto amplia serviços em bancas de jornais

s bancas localizadas em áreas próximas a pontos turísticos poderiam aderir à iniciativa, que tem entre os seus objetivos a ampliação da oferta de serviços de utilidade pública e cidadania

Comentar
Compartilhar
02 ABR 2018Por Da Reportagem15h15
Projeto amplia serviços em bancas de jornaisFoto: Raimundo Rosa/PMS

Transformar as bancas de jornais em pontos de informações turísticas e de cidadania, além de extensão da Ouvidoria Municipal. Para que a proposta vire realidade, a Ouvidoria, Transparência e Controle (OTC) reuniu-se no último dia 28 com jornaleiros para apresentar o projeto Banca de Apoio ao Turismo, Ouvidoria e Cidadania (Batoc) e receber sugestões.

As bancas localizadas em áreas próximas a pontos turísticos poderiam aderir à iniciativa, que tem entre os seus objetivos a ampliação da oferta de serviços de utilidade pública e cidadania. Em contrapartida,os permissionários teriam isenção de impostos por até 8 anos com renovação anual e o direito de comercializar produtos de conveniência em até 60% do espaço da banca. 

No encontro realização na Prefeitura, um grupo de jornaleiros conheceu o projeto de lei complementar que já tramita na Câmara Municipal e a proposta de substitutivo que será debatida em audiência pública no próximo dia 25 a pedido do vereador Adilson Júnior (PTB). A expectativa é que o texto seja pautado e votado ainda este ano. 

O comerciante de jornais e revistas Fabiano Veiga Lopes gostou da ideia. "Já fazemos o serviço de informação turística de forma intuitiva porque somos muitos procurados", disse. Uma de suas propostas foi tornar obrigatória a capacitação dos jornaleiros para permanência no projeto.  

SOBREVIVÊNCIA

Para o ouvidor Rivaldo Santos, a Batoc propõe uma alternativa para que as bancas tenham uma nova vocação e garantam a sobrevivência da atividade em Santos. Entre 2008 e 2018,  57 bancas de jornais tiveram a permissão cancelada. Atualmente, 292 estão com a licença ativa na Prefeitura.

 "O futuro para as bancas de jornais é focar na oferta de novos serviços, bem como investir no atendimento qualificado aos turistas, que já têm nesses comércios pontos de referência para orientação. O projeto dá um novo caminho às bancas, que realizam um importante papel de difusão cultural", explica o ouvidor.

De acordo com o projeto, as bancas teriam à disposição folheterias turísticas e de programas sociais e educativos da Prefeitura. Os jornaleiros seriam capacitados para o atendimento ao turista e no registro de ocorrências da Ouvidoria, além de colaborar com ações voltadas à promoção da Cidadania.