‘Sintonia’ do PCC é preso em Praia Grande

Investigadores fizeram um cerco e impossibilitaram fuga do acusado. Atribuição de “sintonia” é manter contato com grupos de dentro e fora de presídios para direcionar ações

Comentar
Compartilhar
14 ABR 201511h18

Uma ação da Polícia Civil, visando reprimir o tráfico de drogas, resultou, na manhã de ontem, na prisão de um integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) na Vila Antártica, em Praia Grande. Mais de 100 cápsulas de cocaína foram apreendidas.

O acusado, de 24 anos, ostenta passagens por tráfico e é considerado “sintonia” da facção, ou seja, tem a atribuição de manter contato com grupos de dentro e fora das unidades prisionais para direcionamento de ações.

Antes de irem à Vila Antártica, os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos , chefiados por Paulo Carvalhal e pelo delegado Luiz Ricardo Lara Dias Júnior, montaram uma estratégia para evitar a fuga do acusado no ponto de tráfico.

Mais de 100 cápsulas da droga foram apreendidas pelos investigadores da DIG (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Sabendo que a venda de drogas ocorria em um beco e que costumava haver fuga com a chegada da polícia, os investigadores da DIG fizeram um cerco.  Uma equipe foi para o beco, enquanto um dos policiais ficou no local usado para fuga.

O integrante do PCC chegou a saltar dois muros após perceber a chegada dos policiais e foi preso pelo investigador que fechava o cerco.

Na pochete do acusado, os investigadores apreenderam 101 cápsulas de cocaína. O telefone celular dele também foi apreendido.

Após o flagrante ser registrado na delegacia especializada, o preso foi encaminhado para a carceragem da Delegacia Sede de Praia Grande.