Garoto de 13 anos é detido com réplica de arma

É o segundo caso atendido pela Guarda Civil Municipal em três dias

Comentar
Compartilhar
17 MAR 201517h20

Mais um caso de apreensão de adolescente portando uma réplica de arma mobilizou equipes da Guarda Civil Municipal (GCM) na manhã desta segunda-feira (16), em Praia Grande. Dessa vez, o caso aconteceu na porta de uma escola municipal do bairro Glória e envolvia um garoto de apenas 13 anos. 

Por volta das 9h30, a Guarda Civil foi acionada pela diretora da unidade de ensino informando que um adolescente, que não é aluno da escola, estava na porta do local exibindo uma arma, apontando inclusive na direção de funcionários.

A diretora teria informado que não era a primeira vez que o rapaz era visto nas imediações da escola e, por esta razão, decidiu acionar a Guarda.

Rapidamente, uma equipe chegou ao local, mas o garoto não estava mais lá. Entretanto, no momento da saída dos alunos, ele retornou à porta da escola e novamente mostrou a arma para a diretora e funcionários. Novamente a GCM foi acionada e, com base nas características que haviam sido passadas pelos funcionários, conseguiu deter o menor.

De acordo com o GCM Willice, que atendeu à ocorrência, o garoto estava com a réplica de uma pistola na cintura. Mas o que mais chamou a atenção foi a pouca idade do garoto e o fato de já ter passagens na polícia. “Na delegacia, foi constatado que ele tinha duas passagens anteriores por roubo. Embora a réplica que estava com ele não tenha sido associada a esses outros casos, muito provavelmente ele a usaria para praticar crimes desse tipo também”.

Ele explicou que, a exemplo de outra apreensão ocorrida no último sábado, quando três adolescentes também foram detidos com uma réplica de pistola, esse tipo de ocorrência é frequente na rotina de patrulhamentos da GCM. “Infelizmente, muitos adolescentes são aliciados por maiores de idade que se aproveitam do fato de a lei ser mais branda com menores. A questão do consumo de entorpecentes, infelizmente, também influencia”.

Todas as unidades de ensino municipais recebem o apoio a Guarda Civil. De acordo com o subcomandante da corporação, Luis Fernando Zeferino, no caso das escolas localizadas nos bairros entre o Canto do Forte e o Solemar, da pista até a praia, são atendidas pelo Patrulhamento Comunitário Integrado (PCI), as demais são atendidas por meio de solicitação de demandas. “Isso significa que caso ocorra algum incidente, que pode ser desde uma briga até casos mais graves, a escola contará com o atendimento da corporação”.

A Guarda Civil Municipal de Praia Grande conta atualmente com 308 integrantes. Concurso público está em andamento para ampliar o efetivo, o que poderá proporcionar inclusive a extensão do PCI a todos os bairros, conforme prevê o Programa Avança PG, lançado em 2013 pelo prefeito Alberto Mourão, e que consiste em um plano de metas em diversas áreas de atuação da Administração Municipal. A população pode acionar a GCM pelos telefones 153 e 199.