Polícia identifica procurado por homicídio como autor de acidente fatal em Itanhaém

Miguel Victor Martins Medina, de 27 anos, atropelou dois homens e matou um deles no primeiro dia do ano; ele fugiu do local e chegou a dizer para a mãe que “havia matado uma pessoa, mas que a culpa não era dele”

Comentar
Compartilhar
15 JAN 2021Por Gilmar Alves Jr.17h58
Palio que foi pilotado pelo procurado no acidente fatalFoto: Reprodução

Procurado pela Justiça por homicídio em Mauá, na Grande São Paulo, Miguel Victor Martins Medina, de 27 anos, foi identificado pela Polícia Civil como autor do acidente que causou a morte de Osmar de Souza Pereira, de 39 anos, e deixou gravemente ferido Sergio Henrique Gonçalves da Silva, de 42, na Estrada Coronel Joaquim Branco, no Jardim Aguapeú, em Itanhaém.

As vítimas estavam próximas a um Corsa e foram atingidas após o Palio pilotado pelo procurado perder o controle, no final da madrugada do primeiro dia do ano. Com o impacto do acidente, as vítimas foram arremessadas para um córrego.

Sergio segue internado e teve melhoras em seu quadro, segundo a polícia.

Dentro do Palio, que foi abandonado por Miguel, policiais militares apreenderam um revólver de calibre 38 e documentos.

O carro pertence a uma irmã do procurado, que chegou a registrar uma ocorrência de furto do veículo, mas a falsa comunicação de crime foi descoberta pelo delegado responsável pelas investigações, Rodrigo Sareta Veríssimo, titular do 3° Distrito Policial de Itanhaém, pelo investigador-chefe, Elcio Tarcísio Martinho dos Santos Júnior, e outros policiais do distrito.

Ao analisarem imagens de monitoramento da casa da irmã do procurado, policiais identificaram um casal com uma criança entrando no Palio às 3h12 e retornando às 5h04, após o acidente, sem o carro.

Ao tomarem o depoimento da mãe do procurado, a mulher admitiu que seu filho chegara em casa por volta das 5h, transtornado, acompanhado da esposa e do filho, dizendo que “havia matado uma pessoa, mas que não era culpa dele, que estava a 40 km/h”.

Com os fatos trazidos pela mãe, a filha acabou admitindo que o irmão se apossou do veículo na madrugada do dia 1° sem dizer para onde iria. E que um tempo depois Miguel retornou sem o veículo afirmando que havia atropelado duas pessoas.