Polícia Civil apreende quase 10 mil porções de drogas e detém casal em Mongaguá

Mulher com apelido “Gorda” no crime organizado tinha a atribuição de armazenar tóxicos do PCC

Comentar
Compartilhar
26 FEV 2021Por Gilmar Alves Jr.17h46
A apreensão foi realizada em cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência de casalA apreensão foi realizada em cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência de casalFoto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais da Delegacia Sede de Mongaguá apreenderam quase 10 mil porções de drogas, entre cocaína, crack e maconha, que seriam comercializadas em um local conhecido como “Boca da Nove”, no Balneário Jussara. Uma mulher de 36 anos, com apelido “Gorda” no crime organizado, foi presa juntamente com o marido, de 28, em uma casa na Avenida Arpoador, na última terça-feira (23).

Um homem identificado como “gerente” do ponto do tráfico foi identificado, mas ainda não foi localizado.

As investigações, sob o comando do delegado Luiz Antônio Pereira, titular de Mongaguá, e do investigador-chefe, Alexandre dos Santos, detectaram que as drogas eram armazenadas pelo casal a mando de integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e culminaram na expedição de um mandado de busca e apreensão.

De posse da ordem judicial, o investigador-chefe Alexandre dos Santos e os policiais Ismael, Pedro e Roberto foram ao endereço no início da tarde e surpreenderam o casal.

No quarto dos fundos, dentro de uma caixa de papelão, foram apreendidas 5.004 porções de cocaína, 4.320 porções de crack e 396 porções de maconha, bem como um caderno e cinco folhas contendo anotações sobre o tráfico.

Nas anotações consta o nome do gerente como responsável pela coleta do dinheiro do tráfico. Na sala ainda foi apreendido um celular, de procedência sob investigação.