Operação prende 92 pessoas e desativa laboratório de drogas na Baixada

Diretor do Deinter 6, Aldo Galiano Junior, explica que a Polícia Civil vem desenvolvendo operações para capturar procurados, combater o tráfico de drogas, crimes contra o patrimônio, e latrocínios e homicídios

Comentar
Compartilhar
28 MAR 201416h56

A Polícia Civil deteve 92 pessoas, apreendeu 12,4 quilos de drogas e desativou um laboratório de entorpecentes durante uma operação deflagrada na madrugada de quinta-feira (27) na região da Baixada Santista, litoral sul de São Paulo.

O diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter 6), Aldo Galiano Junior, explica que a Polícia Civil vem desenvolvendo diversas operações na região para capturar procurados pela Justiça, combater o tráfico de drogas, crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos, além de latrocínios e homicídios.

As prisões são resultado de um trabalho de investigação e inteligência realizado pela equipe de policiais da região.

A ação, que abrangeu toda a Baixada Santista, teve início à 0 hora de quinta-feira (27) e terminou às 9 horas de hoje (28). Mais de 238 policiais civis e 87 viaturas participaram da operação.

Balanço

Do total de 92 detidos, 82 são adultos e dez adolescentes – sendo 37 em flagrante.

Mais 13 armas ilegais foram retiradas das ruas e 12,4 quilos de drogas foram apreendidos, sendo 10,9 de cocaína.

Na operação também foram recuperados cinco veículos roubados e furtados.

Segundo Aldo Galiano Junior, a Polícia Civil vem desenvolvendo diversas operações na região (Foto: Matheus Tagé/DL)

Laboratório de drogas

Em uma dessas prisões, a Polícia Civil descobriu um laboratório de drogas, que funcionava na Vila Esperança, na cidade de Cubatão. Dois homens e uma mulher foram presos em flagrante.

Os policiais chegaram até o galpão, na Rua Larisssa Cockner, durante a apuração de informações sobre o tráfico. No local, uma área de mangue, flagraram C.S., de 43 anos, e L.F.N., de 54, e a jovem C.S., de 28.

Foram apreendidos 2.278 pinos de cocaína, três tijolos de pasta base da droga, 846 pedras de crack e 28 tabletes de maconha.

Também foram encontrados materiais usados no preparo dos entorpecentes, como balanças de precisão, liquidificadores e diversas embalagens para o armazenamento da droga.

Traficantes em Mongaguá

Outra prisão de destaque aconteceu no Jardim Jussara, na cidade de Mongaguá. Dois homens foram flagrados vendendo drogas na Avenida Ana Seckler Malaco.

O ajudante L.A.S., de 23, era o responsável por armazenar os entorpecentes em sua casa e entregar para o “vendedor”.

L.F.M.P., de 28, confessou que sua função no grupo era comercializar as drogas.

Com a dupla e na casa de Pulguinha, foram apreendidos 1.240 pedras de crack, 752 porções de maconha e 457 pinos de cocaína. Todo o material foi levado à perícia do Instituto de Criminalística (IC).

Os ajudantes foram indiciados por tráfico e associação ao tráfico.

Itanhaém

Com informações levantadas pelo setor de inteligência, policiais civis prenderam três homens por tráfico de drogas no bairro do Guapurá, em Itanhaém.

A equipe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) flagrou L.F.C.S., de 28, com 461 porções de crack, cocaína e maconha, na Rua 39, no bloco 1 de um conjunto habitacional

Em outro bloco do prédio, foram presos os ajudantes W.S.C., de 21, e F.A.C., de 18. Eles estavam com 560 porções de crack e cocaína, além de anotações sobre o tráfico.