Roubos só crescem no Estado de São Paulo

Grella falou sobre possíveis mudanças no programa de bônus e metas da Polícia

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201411h35

O Estado e a capital chegaram ao nono mês consecutivo de aumento de roubos e, por isso, o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, admitiu a possibilidade de ajustes no programa de bônus e metas da polícia, anunciado em janeiro. Com a escalada dos crimes contra o patrimônio, no entanto, os objetivos originais podem ser inalcançáveis nesta área. Já nos homicídios, o governo estadual comemora queda de 3,4% na capital e 11,3% no Estado.

O número de roubos (exceto de veículos) aumentou 47,5% na capital e de 37,2% no Estado em fevereiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Na capital foram 13.166 casos, uma média de 470 casos por dia; no Estado, 25.274 - 902 a cada 24 horas.

O programa de metas ainda precisa ser aprovado na Assembleia Legislativa paulista. No entanto, conforme o que foi anunciado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) em janeiro, policiais receberiam até R$ 2 mil se os roubos ficassem estancados em comparação ao primeiro trimestre do ano passado e os homicídios e latrocínios caíssem 7% na mesma comparação.

Isso significa que o número de roubos em todo o Estado não poderia passar de 59.252 entre janeiro e março deste ano. Nos dois primeiros meses do ano, já foram 52.261. Por outro lado, a meta dos homicídios e latrocínios é de, no máximo, 1,2 mil casos No primeiro bimestre foram 818 ocorrências.

Secretário Fernando Grella admite possibilidade de ajustes no programa de bônus da polícia (Foto: Divulgação)

Internet
Grella afirma que o aumento dos roubos foi causado pela liberação do registro de ocorrência pela internet (www.ssp.sp gov.br/nbo) a partir de dezembro, o que teria inflado as estatísticas. “Você pode simplesmente desconsiderar a meta, por exemplo, de roubo neste trimestre”, disse o secretário, para exemplificar uma mudança no programa de metas. “Você pode não pagar (o bônus) pelo conjunto do Estado, mas pagar por área. Você não altera o sistema, mas você não deixa de premiar aqueles grupos que tiveram desempenho positivo”, disse Grella.

Mesmo com o “efeito delegacia eletrônica”, o secretário disse que há uma tendência “inegável” de aumento. Um análise da Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da SSP apontou que, sem a influência dos registros online, o crescimento dos roubos no Estado deveria ter sido de 27%. Segundo Grella, foram registradas 9.867 ocorrências pela internet — 39% dos boletins no mês.

Combate
O secretário diz que o governo está tomando as medidas para reduzir os crimes contra o patrimônio nos próximos meses, como a contratação de policiais. O foco será “aumentar a ostensividade e investigação”.

Grella calcula que só 2% das autorias de roubo no Estado sejam esclarecidos. Uma das estratégias para resolver essa deficiência da investigação é um estudo encomendado à CAP para criar um formulário e ter controle sobre os inquéritos. “Nós estamos trabalhando para que esse dado seja divulgado com clareza”, disse.

Apesar de atribuir o crescimento de roubos a problema de segurança pública generalizado no País, Grella negou que tentasse isentar a sua administração pela alta nos crimes, mas indicou o desejo de penas mais duras para criminosos. “Nós fizemos a lição de casa. Não posso legislar em matéria penal. Isso depende de medidas de caráter nacional.”

Santos e Região
Na Baixada, os homicídios caíram -36,4% — 22 casos em fevereiro de 2013 para 14 no mês passado.

Os latrocínios (roubos seguidos de morte) no Estado, ficaram estáveis com 33 casos tanto em fevereiro deste ano quanto do ano passado.

Em Santos, furtos caíram de 826 (janeiro) para 630 (fevereiro); furtos de carros subiram de 101 para 134, e roubo de 38 para 43. Roubos em geral caíram de 521 para 446.