Homem casado confessa ter carbonizado e matado a amante com gasolina em Praia Grande

Vítima ainda teve lesões contundentes na cabeça antes de ser queimada, segundo a polícia

Comentar
Compartilhar
05 ABR 2021Por Gilmar Alves Jr.17h09
Vitória Luiza da Silva foi encontrada morta no dia 1º, no Melvi, em Praia Grande; ela era moradora de São VicenteVitória Luiza da Silva foi encontrada morta no dia 1º, no Melvi, em Praia Grande; ela era moradora de São VicenteFoto: Reprodução

Um comerciante de 25 anos e a esposa, de 22, foram presos temporariamente nesta segunda-feira (5) sob a suspeita de terem assassinado Vitória Luiza da Silva, de 20 anos, que mantinha um relacionamento como amante do comerciante. O homem confessou o crime e nega que a mulher tenha envolvimento.

Conforme apurou o Diário do Litoral, no interrogatório à Polícia Civil o homem disse que adquiriu gasolina para atear fogo em Vitória. O comerciante disse que ela resistiu, enquanto era levada por ele, e sofreu uma queda antes de ser carbonizada.

A vítima foi encontrada com o corpo parcialmente carbonizado no dia 1º, em Praia Grande, e teve lesões contundentes na cabeça antes de ser queimada, segundo aponta a apuração da 3ª Delegacia (Homicídios) da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) Regional.

O homicídio teria ocorrido dias depois de Vitória descobrir que o comerciante era casado.

Os policiais da delegacia especializada iniciaram as investigações de forma imediata após a localização do corpo, na Rua Pescada Rosa, no Jardim Melvi.

Os investigadores apuraram que um carro prata trafegou na área do homicídio no horário dos fatos e o comerciante foi identificado. Inicialmente, ele disse que procurava drogas naquela região.

As diligências, porém, apontaram para um envolvimento amoroso entre o homem e a jovem encontrada morta. “Testemunhas afirmaram que a vítima havia descoberto recentemente que seu “namorado” era na verdade casado e que na noite de 31 de março ele havia de forma insistente chamado a jovem para conversar, inclusive dando a entender que já não estava mais casado”, disse, em nota, o Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6).

Com base nas investigações, foi solicitada a prisão temporária do casal, que foi detido nesta manhã, em casa, no bairro Nova Mirim.

As investigações vão prosseguir visando a elucidação completa da dinâmica do crime e da conduta de cada um dos suspeitos.