X

Polícia

Deficit da Polícia Civil paulista atinge pior patamar da história e ultrapassa barreira de 15 mil policiais

O índice atinge o pior nível de sua história em um momento em que o estado convive com ações deflagradas pelo crime organizado por todo o interior paulista, conhecidas como novo cangaço. 

Da Reportagem

Publicado em 07/10/2021 às 19:34

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

WhatsApp Image 2021 10 07 at 16.13.09

O déficit na Polícia Civil de São Paulo ultrapassou a barreira de 15 mil policiais pela primeira vez desde que o levantamento mensal começou a ser realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp), em outubro de 2017.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O índice atinge o pior nível de sua história em um momento em que o estado convive com ações deflagradas pelo crime organizado por todo o interior paulista, conhecidas como novo cangaço. 

A contagem é realizada mensalmente pelo Sindpesp por meio do Defasômetro e publicada em www.sindpesp.org.br.

O déficit aumentou vertiginosamente durante o Governo Doria. No início da gestão atual, em janeiro de 2019, o Defasômetro estava em 13.553, ou seja, entre provimentos e baixas, o saldo é negativo em quase 1.500 policiais.

“Apesar do discurso de que investe na Segurança Pública, o que temos hoje sob o comando do governador Doria é o desmonte intencional da Polícia Civil”, avalia a presidente do Sindpesp, delegada Raquel Kobashi Gallinati. “Sem um investimento consistente e urgente, a Polícia Civil de São Paulo entrará em colapso”.

A falta de investimento na Polícia Civil fica evidente pelo déficit, sucateamento das estruturas como delegacias, viaturas e armamentos e pelos salários pagos aos policiais, que hoje são os menores entre todos os estados do Brasil.

“Quem fica desprotegida por essa política de sucatear a polícia é a população. Crimes que poderiam ser evitados antes do primeiro tiro com uso de inteligência e tecnologia aterrorizam os paulistas. As facções criminosas agem e o governador Doria sufoca a Polícia Civil, que tem o conhecimento para agir, impedindo que ela evite esses crimes”.

Entre os delegados, dos 4.463 cargos existentes, apenas 2.549 estão ocupados. E, números absolutos, a carreira onde faltam mais profissionais é a de investigador, com déficit de 3.648 postos.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

COPA DO BRASIL

Sorteio define mandos das semis da Copa do Brasil; veja quem decidirá em casa

É a primeira vez na história que uma competição de cunho nacional terá a decisão das semis sendo do eixo Rio-SP, com 2 de cada estado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software