Assassino do ator Rafael Miguel e dos pais dele usa nome falso para se esconder

Paulo Cupertino Matias teria apresentado uma certidão de nascimento falsa a um funcionário público da Prefeitura de Jataizinho para conseguir um novo documento

Comentar
Compartilhar
27 OUT 2020Por Gazeta de S. Paulo14h00
Montagem de foto do assassino e do ator Rafael MiguelFoto: Reprodução

O empresário Paulo Cupertino Matias, de 49 anos, que matou a tiros o ator Rafael Miguel e os pais dele em junho do ano passado, na zona sul de São Paulo, usa o nome falso “Manoel Machado da Silva” para se esconder. Ele é considerado foragido e continua sendo procurado pela polícia.

Após o crime, cometido por não aceitar o namoro da filha com o jovem, o homem fugiu e conseguiu dar entrada num documento de identidade falsificado que foi feito na cidade de Jataizinho, no interior do Paraná. A Polícia Civil paranaense descobriu a fraude na segunda-feira (26) e alertou a polícia de São Paulo.

De acordo com policiais do Paraná, o assassino teria apresentado uma certidão de nascimento falsa a um funcionário público da Prefeitura de Jataizinho para conseguir um novo documento tipo RG.

Paulo também alterou a filiação e o local de nascimento, colocando uma cidade do Mato Grosso do Sul. Na foto, ele aparece com barba branca.

O caso

Paulo Cupertino Matias cometeu o triplo assassinato quando o ator foi com os pais convencer o acusado a aceitar o namoro entre o ator e a filha em 9 de junho do ano passado. Matias atirou em Miguel, na mãe do jovem, Miriam Selma Miguel, 50, e no pai do ator, João Alcisio Miguel, 52. Eles morreram em frente à casa do atirador, que fugiu em seguida.

Miguel é conhecido do público por interpretar a personagem "Paçoca", da novela "Chiquititas", exibida pelo "SBT". Além disso, o jovem também era conhecido como o garotinho que tentava convencer a mãe, em um comercial de TV, a comprar brócolis.