FEMINICIDIO

Acusado de atirar contra policiais civis em 2017 é capturado em Guarujá

Ao ser localizado na manhã desta terça-feira (11), Wellington Medeiros de Pádua ofereceu resistência e agrediu um policial

Comentar
Compartilhar
11 JUN 2019Por Gilmar Alves Jr.14h29
Wellington Medeiros de Pádua, de 28 anos, sendo levado para a DIGFoto: Reprodução

Acusado de atentado a tiros contra policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos em agosto de 2017, na comunidade Caranguejo, em Guarujá, Wellington Medeiros de Pádua, de 28 anos, foi preso no início da manhã desta terça-feira (11) no imóvel que ele usava como esconderijo.

Ao ser localizado nesta terça, Wellington ofereceu resistência e agrediu um policial. Desde o atentado em 2017, a DIG, sob o comando do delegado titular Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior e do investigador-chefe, Paulo Carvalhal, deflagrou diversas ações com o intuito de localizar o foragido.

No imóvel onde ele foi encontrado, os policiais da DIG apreenderam 679 gramas de cocaína, 80 gramas de maconha, LSD, rádios comunicadores e munições de calibre 38.

A Reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa do capturado.

No imóvel usado como esconderijo do acusado, os policiais apreenderam cocaína, maconha, LSD e munições (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O atentado

Policiais da DIG faziam uma operação contra roubo de cargas quando foram alvos de disparos em 1º de agosto de 2017. Um investigador foi baleado no ombro e um outro acusado de atirar contra os policiais, Matheus da Silva Santos, foi baleado na perna e autuado em flagrante.

Wellington conseguiu escapar, mas foi indiciado e teve a prisão decretada. 

Colunas

Contraponto