X
EDUCAÇÃO

Transporte escolar preocupa pais de alunos em Itanhaém

Segundo o vereador Henrique Garzon, alunos de 26 escolas da rede municipal estão sem o transporte escolar

Após receber diversas denúncias de pais de alunos, o vereador visitou a escola Profª Filomena Dias Apelian, no bairro Jardim Bopiranga / NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

O vereador Henrique Garzon (Podemos), de Itanhaém, entrou com uma representação no Ministério Público, no último dia 14, para denunciar a falta de transporte escolar na maioria das unidades escolares da rede municipal. Segundo ele, a cidade possui mais de 40 escolas e, no mínimo, 26 delas não estão sendo atendidas.

As unidades da rede municipal já tinham retomado as aulas, de forma híbrida, dia 2 de agosto, informa Garzon. "Porém, neste mês, 100% dos alunos devem voltar às aulas de forma presencial, conforme a determinação do Governo do Estado".

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O vereador lembra que o prefeito Tiago Cervantes (PSDB) havia afirmado em live, nas redes sociais, que durante o período de aulas de forma híbrida, o transporte escolar estava sendo atendido por ônibus escolares da própria frota do município e que eram suficientes para atender à demanda.

Após receber diversas denúncias de pais de alunos, o vereador visitou a escola Profª Filomena Dias Apelian, no bairro Jardim Bopiranga. "A unidade possui mais de 600 crianças e atende, inclusive, a área rural, sendo que 200 dessas crianças necessitam de transporte público escolar", salienta.

Diversos pais de alunos também reclamam da falta de transporte escolar. Um exemplo é a EM Professora Filomena Dias Apelian, localizada no Jardim Bopiranga, que está sem atendimento desde o início das aulas em agosto.

O ajudante de pedreiro Anderson Ramos, que tem uma filha de 13 anos matriculada na escola no 7º ano, explica que a sua filha veio de São Paulo para morar com ele, no Jardim São Fernando. "Há cerca de oito meses minha filha estuda nessa escola, mas desde a retomada das aulas, em agosto, não tem o transporte escolar". Ele a leva e vai buscar na porta da escola todos os dias. "Fico preocupado, pois levamos meia hora a pé de casa até a unidade escolar e é bastante perigoso. E as ruas ficam em condições precárias em dias de chuva".

Outra mãe que também reclama da situação é a diarista Taiane Barbosa, do Jardim Bopiranga. "Antes da pandemia, meu filho, de 11 anos, que está no 6º ano, já estava na fila de espera do transporte escolar. Tenho que ir levar e buscar, pois é arriscado ele ir sozinho de casa até a escola". Segundo ela, o trajeto, a pé, leva 40 minutos e, com chuva, fica pior.

A Prefeitura informa que 13 escolas estão sendo atendidas com o transporte, incluindo uma unidade na zona rural, na rede municipal. E que o atendimento ocorre conforme as escalas sugeridas pelas escolas, considerando o revezamento dos alunos que, hoje, ocorrem de forma semanal (6º ao 9º ano) e alternado (Pré I até o Ensino Fundamental). Afirma ainda que as secretarias de Educação e de Administração estão trabalhando em conjunto para ampliar a frota, dadas as novas necessidades de protocolos sanitários e de atendimento. Itanhaém tem 43 escolas e 18.360 alunos na rede municipal.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Homem procura hospital com projétil de canhão no ânus e médicos acionam equipe antibomba

O objeto tem 17 cm de comprimento e 6 cm de largura

Santos

Santos realiza caminhada de conscientização sobre HIV/Aids neste sábado

Os pedestres, que devem trajar uma peça de roupa ou acessório na cor vermelha, seguirão até a Praça das Bandeiras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software