Valdivia é suspenso por dois jogos por ofensa a árbitro

O chileno não foi sequer relacionado para a partida, mas ficou no vestiário. No intervalo da partida, irritado com a atuação do árbitro, o meia xingou Furlan, que registrou a ofensa na súmula

Comentar
Compartilhar
11 MAI 201518h28

O meia Valdivia foi condenado nesta segunda-feira a dois jogos de suspensão no Campeonato Paulista do próximo ano por ter ofendido o árbitro Vinícius Furlan na primeira partida da decisão do Estadual, contra o Santos. O técnico Oswaldo de Oliveira também foi julgado, mas foi absolvido pela expulsão na mesma partida.

O chileno não foi sequer relacionado para a partida, mas ficou no vestiário. No intervalo da partida, irritado com a atuação do árbitro, o meia xingou Furlan, que registrou a ofensa na súmula.

"Informo que no túnel de acesso aos vestiários, no intervalo de jogo, o senhor Jorge Luis Valdivia Toro, n. 10, conforme a relação de jogadores da equipe do Palmeiras, se dirigiu a equipe de arbitragem e proferiu o seguinte: 'Uma vergonha essa arbitragem, uma vergonha, arbitragem de ladrão", afirmou o chileno, de acordo com a súmula.

 Valdivia foi condenado a dois jogos de suspensão no Campeonato Paulista do próximo ano (Foto: Divulgação)

O clube, através de seu departamento jurídico, tentou desqualificar o artigo que Valdivia estava sendo julgado e alegou que o jogador não chamou o árbitro diretamente de "ladrão" e que o termo tem outro contexto no futebol. Mas a tática não convenceu os julgadores. Valdivia e Oswaldo de Oliveira não compareceram ao local.

O treinador foi julgado por ter sido expulso no intervalo da partida e ter entrado no gramado. Como foi absolvido, poderá trabalhar normalmente no Estadual do ano que vem.

O Palmeiras também foi punido. O clube recebeu uma multa de R$ 6 mil por conta do atraso na entrada em campo na partida. O Santos e o trio de arbitragem já estavam perfilados e o hino nacional brasileiro estava sendo executado, quando o elenco alviverde subiu para o campo.

Dudu e Victor Ramos também seriam julgados nesta segunda-feira, mas o Palmeiras pediu o adiamento e não existe uma nova data para o julgamento.