Técnico do Santos usa derrota para o Ituano na final de 2014 como aprendizado

Na Vila Belmiro, a equipe terá que ganhar por no mínimo dois gols de diferença para confirmar a conquista no tempo normal

Comentar
Compartilhar
02 MAI 201513h32

O técnico Marcelo Fernandes, do Santos, disse que a equipe aprendeu com o vice-campeonato paulista do ano passado e está mais preparado para, no domingo, derrotar o Palmeiras e garantir o título de 2015. Na Vila Belmiro, a equipe terá que ganhar por no mínimo dois gols de diferença para confirmar a conquista no tempo normal.

Caso vença por diferença mínima, a decisão vai para os pênaltis, como foi no ano passado. "Acho até que o pessoal quer muito vencer, como todos querem, mas a semana tem sido boa. Não só neste aspecto. Tivemos uma lição muito boa ano passado, contra o Ituano. Isto nos deixou muito calejados e fortalecidos neste momento", disse o treinador, que em 2014 era auxiliar de Oswaldo de Oliveira.

O Santos mudou a programação nesta sexta-feira e preferiu realizar o treino na Vila Belmiro com os portões abertos. O técnico fez questão de colocar no campo todos os jogadores, e embora a atividade não tenha indicado os titulares para domingo, serviu para o elenco sentir o apoio dos torcedores.

Marcelo Fernandes disse que a equipe aprendeu com o vice-campeonato paulista do ano passado (Foto: Ricardo Saibun/SFC)

Inicialmente o treino da equipe seria no CT Rei Pelé e de portões fechados. Mas na última hora o técnico anunciou alteração na programação. Somente a torcida organizada já sabia dessa alteração na agenda.

Com bandeiras, faixas e a presença de cerca de mil pessoas, a atividade teve ainda protestos contra as emissoras de tevê. Os torcedores criticaram os canais por não transmitirem jogos do clube e priorizarem as partidas do Corinthians.

Na atividade, o time fez um trabalho em campo reduzido, de posse de bola, seguido por cruzamentos e finalizações. O treino levou ao gramado jogadores que são dúvida para a partida de domingo, como uma espécie de estratégia para confundir o Palmeiras.

Em fase final de recuperação de uma dengue, o zagueiro Werley treinou pela primeira vez com o grupo. Até mesmo o goleiro Vanderlei, que não atua há 35 dias, esteve presente. O jogador sofreu uma fratura no rosto e treinou com uma máscara. O atacante Robinho também participou.

Antes do treino, o técnico concedeu entrevista coletiva e despistou sobre se a presença no treino significaria para esses jogadores a confirmação de vaga entre os titulares. "Temos de esperar. Não podemos colocar ninguém meia-boca. É uma decisão, um jogo importantíssimo para nós", afirmou.