Sport bate o Santos no Recife e abre vantagem na Copa do Brasil

O segundo e decisivo duelo entre pernambucanos e paulistas ainda não tem data marcada e deve acontecer apenas após a disputa da Copa América

Comentar
Compartilhar
21 MAI 201500h18

O Sport entrou em campo com seis desfalques para encarar o Santos de Robinho, Lucas Lima e Ricardo Oliveira. Porém, na Ilha do Retiro, no Recife, a equipe pernambucana fez valer o fator casa e bateu o Peixe por 2 a 1 no primeiro duelo entre as equipes pela terceira fase da Copa do Brasil.

Invicto há 20 jogos diante de seu torcedor, o Sport não pôde contar com Magrão (luxação no ombro), Samuel Xavier e Matheus Ferraz (jogaram por outras equipes na Copa), Élber e Samuel (dores musculares), e Diego Souza (virose). Porém, Régis assumiu a camisa 10 do rubro-negro e garantiu a vantagem para o jogo da volta. O meia marcou o primeiro gol e fez a assistência para Renê decretar a vitória. Lucas Lima, que já atuou pelo Sport, descontou para os santistas.

O segundo e decisivo duelo entre pernambucanos e paulistas ainda não tem data marcada e deve acontecer apenas após a disputa da Copa América, na segunda quinzena de julho, já que a Copa do Brasil sofrerá uma paralisação. O certo é que Lucas Lima, por ter levado o terceiro cartão amarelo na competição, está fora do confronto.

O próximo desafio das duas equipes está marcado para este domingo e é válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O Leão volta a jogar em casa, desta vez contra o Coritiba, às 18h30. Mais cedo, às 16 horas, o Peixe visita a Chapecoense.

Santos e Sport somam quatro pontos no nacional por pontos corridos, com uma vitória e um empate cada, mas, no critério de desempate, os pernambucanos aparecem na segunda colocação, enquanto o alvinegro praiano é sexto na tabela de classificação.

Sport joga pelo empate na Vila Belmiro (Foto: Marlon Costa/Futura Press)

Início eletrizante

O primeiro duelo entre Santos e Sport na história da Copa do Brasil começou elétrico. Enquanto alguns torcedores ainda buscavam o melhor lugar na Ilha do Retiro, o Peixe saiu para o ataque logo após o apito inicial e por pouco não marcou. Ricardo Oliveira ficou de frente para Danilo Fernandes, mas o goleiro levou a melhor e salvou os donos da casa de tomar um gol aos 15 segundos de jogo.

A resposta do Leão foi imediata. Aos 3 minutos, Régis, substituto de Diego Souza na noite, ganhou a dividida de Werley dentro a área santista e deslocou Vladimir para abrir o placar.

Aos 7, por pouco o Sport não ampliou depois de jogada rápida pela esquerda. O cruzamento rasteiro passou por três atacantes rubro-negros. Na sequência, o estádio explodiu pedindo pênalti em Mike, que sofreu a carga de Lucas Lima, pelas costas, mas o árbitro mandou seguir.

Atrás do placar, o Peixe passou a buscar o gol e administrar mais a bola em seu pé. O Sport recuou todos os jogadores para a marcação, esperando apenas a oportunidade para contra-atacar.

Porém, aos 18, Renê se atrapalhou com a bola e viu Geuvânio ser mais esperto e sair cara a cara com Danilo Fernandes. O ex-goleiro corintiano mostrou que estava inspirado e, de novo, salvou o Sport.

E, quando começou a se soltar mais no jogo, os pernambucanos foram castigados. David Braz cobrou falta de forma rápida, ainda no campo de defesa. A bola chegou em Robinho, no meio, que serviu Lucas Lima. O meia infiltrou em meio aos zagueiros, limpou o goleiro e estufou as redes de seu ex-clube.

Depois do empate, o alvinegro praiano acabou recuando a equipe e o Sport chegou a oferecer perigo, mas sem conseguir finalizar. O jogo ficou mais equilibrado e o último lance de destaque da primeira etapa foi mais um pedido de pênalti dos donos da casa e de novo com Lucas Lima. Desta vez, Wendel foi tocado na área, porém, novamente o árbitro ignorou a jogada.

Pressão do Leão

O Sport voltou diferente para o segundo tempo. Ciente da necessidade de vencer em casa, a equipe pernambucana passou a marcar a saída de boa santista. Na pressão, Mike arriscou chute de fora da área e tentou surpreender, mas errou o alvo.

Aos 8, Régis fez a jogada, entrou na área e, após dividida com o goleiro Vladimir, a bola sobrou para Joelinton, mas Chiquinho salvou o Santos, que já estava com o gol vazio.

O Peixe só voltou a assustar aos 17, em jogada ensaiada. Lulas Lima cobrou falta para trás e Victor Ferraz pegou de primeira, mas foi a vez de Rithely ser herói. Cinco minutos depois, Lucas Lima voltou a testar Danilo Fernandes em chute forte , de longe, mas o substituto de Magrão mais uma vez não decepcionou.

O jogo caiu de rendimento e a partida passou a ficar mais sonolenta, sem muito trabalho para os goleiros, até que Régis voltou a aparecer. O camisa 10 do Sport fez linda jogada individual pela esquerda, limpou David Braz e só rolou para trás. Renê, o lateral esquerdo, apareceu como elemento surpresa e virou o jogo.

Após o gol, os técnicos ainda gastaram todas suas substituições, mas o placar não sofreu mais alteração e o Sport abriu vantagem no duelo da Copa do Brasil.