Portuguesa Santista faz treinamentos específicos de olho na Mauaense

Em campo reduzido, Briosa treinou toque e posse de bola para enfrentar a forte marcação do time de Mauá

Comentar
Compartilhar
20 MAI 201518h06

A Portuguesa Santista treinou na manhã desta quarta-feira (20) visando ao confronto contra a Mauaense, no próximo domingo, às 10h, em Ulrico Mursa. Treinando no campo da Abrescas (Associação Beneficente e Recreativa dos Empregados da Santa Casa de Santos), a Briosa fez trabalhos físicos, de toque e posse de bola.

"Vamos enfrentar um time que, pelo que vi no último sábado, joga num 3-4-3, congestiona muito o meio de campo e dá pouco espaço. Como nossa equipe é de toque de bola, que tenta envolver o adversário, reduzimos o tamanho do campo e fizemos um oito contra oito para que eles forcem fazer o passe. Num campo de condições melhores e maior, como o nosso, podemos envolver o adversário e fazer o resultado que estamos precisando", explica o técnico Serginho.

A derrota sofrida para o União Suzano, no último sábado (16), em Suzano, fez com que a Briosa caísse para a 2ª colocação do Grupo 3 do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, um atrás do Esporte Clube São Bernardo, que tem 11. Para Serginho, é preciso esquecer o resultado negativo e buscar a rápida reabilitação.

"Esse campeonato é dinâmico e temos que pensar no futuro. Precisamos nos classificar preparando o time para o hexagonal final, pois é ali que começa o campeonato. Respeitamos nossos adversários, já vimos que o grupo é muito igual e que todos têm suporte para chegar na próxima fase, então temos que estar conscientes, pensando jogo a jogo, e sermos fortes e determinados para chegarmos à vitória", finaliza o treinador.

A Portuguesa Santista treinou na manhã desta quarta-feira (20) ) (Foto: Divulgação/Portuguesa Santista)

Torcida do futuro

A promoção Torcida do Futuro continua e, para a partida de domingo contra a Mauaense, a Portuguesa Santista irá comercializar a "meia-entrada especial" para o torcedor que doar produtos de higiene pessoal. Quem fizer a doação paga R$ 5 no ingresso de arquibancada e R$ 10 no de cadeira coberta.

Se o torcedor optar por doar sabonetes, deve levar no mínimo cinco unidades. No caso de creme dental, a doação deve ser de no mínimo duas unidades. Optando por fio dental, a doação mínima é de três unidades. No caso de cotonetes, o torcedor deve levar no mínimo três embalagens.

O ingresso não promocional de arquibancada custa R$ 20 e o de cadeiras cobertas R$ 30. Já a meia-entrada normal, concedida a estudantes, aposentados, professores da rede pública, maiores de 60 anos, crianças até 12 anos e sócios com a mensalidade em dia, é comercializada a R$ 10 a arquibancada e R$ 15 a cadeira coberta.