Reservas brilham, Santos vira sobre o Penapolense e vai à decisão

Com a vitória, o Peixe garantiu o direito de fazer a segunda partida da decisão em casa – independentemente do adversário

Comentar
Compartilhar
30 MAR 201418h20

Com a ajuda de seus reservas, o Santos conquistou a classificação para a final do Campeonato Paulista neste domingo. Após sair na frente e sofrer a virada, o Peixe derrotou o Penapolense por 3 a 2 na Vila Belmiro, com gols de Cícero, Damião e Stéfano Yuri. Guaru (de pênalti) e Douglas Tanque fizeram para o time de Penápolis.

As substituições feitas por Oswaldo de Oliveira foram decisivas. Rildo, que entrou no lugar de Gabriel, deu a assistência para Leandro Damião logo na sua primeira jogada. Já Stéfano Yuri, substituto de Damião, fez o gol no segundo toque.

Com a vitória, o Santos garantiu o direito de fazer a segunda partida da decisão em casa – independentemente do adversário.

Damião marcou o gol de empate do Peixe (Foto: Estadão Conteúdo)

O jogo

A primeira jogada de perigo do Santos aconteceu aos sete minutos, quando Leandro Damião recebeu lançamento, fez boa jogada individual pela esquerda e cruzou para Geuvânio, que finalizou de primeira. A bola desviou na defesa do Penapolense e saiu para escanteio.

O Santos abriu o placar aos 22 minutos. Arouca errou um passe, mas recuperou a bola e rolou para Cícero, que arriscou da meia-lua. A bola desviou na zaga adversária e tirou o goleiro Samuel da jogada.

Três minutos mais tarde, Guaru cobrou falta na área e David Braz puxou um jogador do Penapolense. O árbitro viu, marcou pênalti e mostrou o cartão amarelo ao zagueiro santista. Na cobrança, Guaru colocou a bola no canto direito de Aranha, que caiu para a esquerda.

Aos 30 minutos, Leandro Damião desperdiçou boa oportunidade. O camisa 9 santista recebeu cruzamento de Gabriel e, no meio da defesa adversária, finalizou com a canela direita, para longe do gol.

Uma falha da defesa santista resultou na virada do Penapolense. Após longo lançamento, David Braz protegeu a bola da chegada de Douglas Tanque e hesitou em recuá-la para Aranha. O atacante do time de Penápolis se aproveitou da indecisão, recuperou a bola e ficou com o gol aberto para marcar.

O Penapolense quase marcou o terceiro gol aos 43. Após rápido contra-ataque, a bola sobrou para Douglas Tanque, que finalizou colocado, buscando o ângulo esquerdo de Aranha. O goleiro santista só observou, e a bola passou foi para fora.

Com menos de um minuto no segundo tempo, Cicinho arrancou suspiros da defesa santista. De primeira, o lateral direito acertou forte chute de fora da área e viu a bola explodir no travessão.

Aos nove minutos, Gualberto foi apertado por Damião e tentou dar um chutão para a frente. O santista se colocou na frente da bola, bloqueou o chute e, por acaso, quase empatou o jogo.

Aos 16 minutos, em sua primeira aparição no jogo, Rildo – que substituíra Gabriel -, fez jogada individual pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Damião, que cabeceou com precisão para empatar a partida.

Geuvânio obrigou Samuel a fazer boa defesa aos 30 minutos. O santista recebeu de Thiago Ribeiro, ajeitou para a perna esquerda e finalizou de fora da área. Na cobrança do escanteio, Geuvânio recebeu na ponta direita e cruzou para Damião, que cabeceou forte e obrigou Samuel a grande defesa. No rebote, Neto ajeitou para Cícero, que teve o chute bloqueado.

Aos 33 e aos 36, Damião recebeu cruzamento na área e errou as finalizações, perdendo boas chances de recolocar o Santos à frente no placar.

Aos 38 minutos, o Santos balançou as redes, mas teve o lance anulado. Thiago Ribeiro cobrou falta na área, Neto cabeceou e David Braz, em posição duvidosa, cabeceou para o fundo das redes.

Aos 41 minutos, o Santos virou a partida novamente. Após boa trama do ataque, Thiago Ribeiro deixou Stéfano Yuri – que entrara na vaga de Damião – cara a cara com o goleiro. O jovem santista, com um forte chute, marcou o terceiro.