Pista escorregaria na Espanha é alvo de críticas dos pilotos da Ferrari

Barcelona foi o palco escolhido pela Federação Internacional de Automobilismo para parte da pré-temporada realizada em fevereiro, inverno na Europa

Comentar
Compartilhar
08 MAI 201516h18

Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen não ficaram satisfeitos com a falta de aderência da pista no primeiro dia de treinos livres do GP da Espanha. Apesar de manter-se nas primeiras posições nas sessões em Barcelona, o alemão afirmou que a situação, mesmo não sendo anormal, acabou prejudicando grande parte dos pilotos na busca pelos melhores tempos na manhã desta sexta-feira.

“Eu acho que é bem honesto dizer que os pneus médios são mais rápidos, mas hoje a pista estava um pouco escorregadia para todos os carros. A aderência parece ser muito baixa, nada de anormal, como temos visto ao longo dos anos. Não tive a melhor volta hoje, mas eu acredito que nessas condições é difícil para todo mundo”, disse o tetracampeão da F1, dono do segundo melhor tempo na segunda sessão do dia com 1min27s0260, atrás apenas de Lewis Hamilton.

Barcelona foi o palco escolhido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para parte da pré-temporada realizada em fevereiro, inverno na Europa. A etapa espanhola, contudo, será realizada no próximo domingo. Maio é a época em que a primavera no hemisfério norte faz com que os termômetros registrem temperaturas bem mais altas em relação ao início do ano, além de contar com ventos mais fortes. Isso aumenta a temperatura da pista e a deixa as voltas mais lentas, de acordo com Vettel.

“No verão, a pista é geralmente um pouco mais devagar. Sempre ajuda quando há carros ao redor e eu acho que todo mundo completou muitas voltas hoje. Claro que no domingo vai melhorar, mas as condições gerais permanecerão as mesmas. Disseram que vai estar um pouco mais frio no domingo e talvez isso ajude”, projetou. O alemão ainda lembrou a distância em relação à Mercedes e avaliou o desempenho da Scuderia.

Vettel espera que o clima esteja mais ameno no domingo para que a pista tenha melhores condições (Foto: Associated Press)

“Eu acho que nós podemos melhorar os carros, mas o vão com a Mercedes ainda está ali. Hoje todo mundo estava escorregando muito, então não é totalmente justo julgar as novas peças no carro. O mais importante é que não há nada de errado com os pneus: estão trabalhando como o esperado então nós podemos ter esperança e construir em cima disso”, completou.

Raikkonen também se incomodou com a pista escorregaria e as condições climáticas, mas acredita que a Ferrari pode trabalhar para melhorar o desempenho até a hora da largada, no domingo.

“Foi um dia bastante estranho. A posição e os tempos de volta não estavam tão ruins, mas eu não fiquei completamente feliz com a manipulação do carro”, avaliou o finlandês, quarto colocado nas duas sessões, com melhor volta cravada em 1min27s780.

“Não sei se foi por causa do vento ou das condições da pista, mas eu estive lutando o dia todo. Nós não vimos nada de ruim com as atualizações que trouxemos aqui. Estou apenas com o sentimento de que não está completamente certo, como se o carro estivesse deslizando. Eu sinto que há muito a melhorar e ganhar. Vamos buscar mais detalhes e ver o que nós podemos fazer no resto do fim de semana”, finalizou.