Paulo André diz não reprovar cobranças da torcida do Corinthians

A recepção debaixo de chuva de pedras e latas de cervejas em Araraquara (SP), no último domingo, não agradou em nada o grupo

Comentar
Compartilhar
30 OUT 201318h58

A semana começa para valer nesta quinta-feira no Corinthians, com o técnico Tite mandando os titulares para o campo. Enquanto os jogadores aprimoram a parte física, o zagueiro Paulo André, líder do elenco, resolveu chamar a atenção dos torcedores. Mas a bronca não é direcionada a todos os corintianos, mas vale para aqueles que estão "prejudicando" a equipe no Campeonato Brasileiro, ocasionando brigas e perdas de mandos de jogos na mesma escala.

A recepção debaixo de chuva de pedras e latas de cervejas em Araraquara (SP), no último domingo, não agradou em nada o grupo. "Acho que quem jogou pedra, garrafa, vai aonde o time for, não é o pessoal de Araraquara, é o pessoal que acompanha o time. Infelizmente isso é algo recorrente e o time vem sofrendo com isso. Pior, as punições não têm resolvido", afirmou Paulo André, pedindo pediu punição severa aos baderneiros.

"Isso é questão de segurança pública e tem de ser revisto, não só no Corinthians, mas em todos os clubes", afirmou o zagueiro. "Torcedor tem de respeitar os códigos e o estatuto para que as coisas possam melhorar para todo mundo, não só para a gente. As autoridades têm de pensar em saídas positivas e urgentes".

O jogo em Araraquara foi o quarto longe do Pacaembu. Ainda há mais um de pena, diante do Fluminense, e o risco de novo julgamento pelas pedras e latas que também foram atiradas no ônibus do Santos.

O zagueiro Paulo André não reprova as cobranças da torcida do Corinthians (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Ponto para a torcida, só por fiscalizar os baladeiros. "Acho que eles têm o direito de fazer a manifestação que quiserem. Estou tranquilo, não vou para balada, faço as coisas em casa. Para se jogar no Corinthians, ganhar o que ganha, deve-se saber da responsabilidade de vestir a camisa, saber que tem 30 milhões mais tristes e respeitar o sentimento do torcedor".

Paulo André aproveitou para pedir um pouco mais de respeito à campanha do ano. "Dizem que paramos de jogar em Tóquio, mas fizemos bons jogos no Paulista, na Libertadores, os dois na Recopa. A desgraça que estão apontando, discordo", disparou. "O segundo semestre foi muito abaixo do que o time poderia produzir Mas não desprezo os dois títulos. Se falarem que não vale, que acabem com os dois campeonatos. Ninguém deu nada para a gente, nós conquistamos e não podem desmerecer nosso time. Tem gente não ganhou nada nesse ano".