Guardiola admite vestiário triste e reconhece: "O talento fez a diferença"

Com um estilo de jogo semelhante ao Barça em se tratando de posse de bola, o Bayern de Munique conseguiu igualar a disputa durante a primeira etapa, mas sucumbiu ao levar dois gols de Messi

Comentar
Compartilhar
07 MAI 201513h17

Após levar a pior no primeiro confronto diante de seu ex-time, Josep Guardiola admitiu que a derrota por 3 a 0 foi um resultado difícil de ser assimilado pelo elenco bávaro. De acordo com o técnico, a derrota no Camp Nou na última quarta deixou o vestiário triste. Mesmo sabendo da possibilidade de recuperação no segundo jogo, em Munique, o comandante do Bayern reconheceu que o talento fez a diferença na primeira partida da semifinal.

Com um estilo de jogo semelhante ao Barça em se tratando de posse de bola, o Bayern de Munique conseguiu igualar a disputa durante a primeira etapa, mas sucumbiu ao levar dois gols de Messi em dez minutos e desmoronou após o tento derradeiro de Neymar, que deixou os catalães muito perto de alcançar a decisão da Liga dos Campeões. Em sua análise, Pep julgou que os alemães conseguiram controlar a partida em determinado momento, mas admite que a derrota foi dura.

“Estávamos muito bem até chegar aqui, o vestiário está muito triste. Não quisemos ficar atrás, buscamos a posse de bola e até controlamos o jogo. No primeiro tempo fomos nós quem criamos as ocasiões. Mas, no fim, o talento fez a diferença. O resultado de 3 a 0 foi duro, fica mais difícil. O terceiro gol era evitável, mas semana que vem vamos jogar em Munique”, disse o espanhol, tentando projetar a recuperação da equipe atuando ao lado da torcida.

Guardiola lamenta placar adverso, parabeniza Barça e cobra recuperação em Munique (Foto: Associated Press/AE)

Reconhecendo os méritos do Barcelona, que segundo Guardiola “está muito sólido, muito bem em todos os níveis”, o treinador do Bayern fez questão de parabenizar sua equipe pelas atuações, independente do resultado desfavorável no primeiro jogo da semifinal, que aconteceu uma semana após a eliminação bávara na Copa da Alemanha, dentro de casa, contra o rival Borussia Dortmund.

“Estou muito orgulhoso da equipe e dos jogadores. Mesmo com problemas há dois ou três meses conseguimos chegar até aqui. A equipe tem enfrentado situações difíceis nos últimos tempos, mas estou orgulhoso dos resultados que conseguimos. Eu entendo que a forma de jogar é ter a posse da bola, tentamos controlar o jogo, mas ficamos expostos. Parabenizo o Barcelona, mas nos vemos em Munique”, declarou ao Mundo Deportivo.