GOVERNO 3

Enderson Moreira vê torcida única como "retrato da sociedade"

A princípio, o derby seria jogado com torcida única. Apenas palmeirenses teriam direito a ingresso

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201512h14

A polêmica que se instaurou sob o clássico entre Palmeiras e Corinthians, a ser realizado neste domingo, no Palestra Itália, repercutiu no CT Rei Pelé. A princípio, o derby seria jogado com torcida única. Apenas palmeirenses teriam direito a ingresso, como desejavam Paulo Nobre, presidente do alviverde, Ministério Público e Federação Paulista de Futebol. O Corinthians, no entanto, acionou a justiça e ameaçou não entrar em campo, caso não recebesse 5% das entradas, previstos no Estatuto do Torcedor. Após muita discussão, o Ministério Público perdeu força diante de um parecer do judiciário e a FPF, assim como o Palmeiras, cedeu e comunicou que os ingressos aos corintianos serão repassados.

“Retrato da sociedade. Não temos condição de ir e vir, não temos como andar sem o risco de ser assaltado, de ser sequestrado, de sofrer um acidente porque alguém não respeitou uma lei de trânsito. O futebol é um retrato do que acontece na sociedade”, refletiu Enderson Moreira, ao ser questionado sobre o tema. “A gente não consegue conviver com pensamentos diferentes, não conseguimos conviver com pessoas diferentes. Muita gente fala em agressão, mas, às vezes, uma palavra machuca mais do que uma agressão”, disse o técnico do Peixe.

Enderson Moreira vê a medida de torcida única em clássicos como um retrato do que acontece na sociedade (Foto: Divulgação/SFC)

Mando

Desde que assumiu a presidência do Santos, Modesto Roma Jr avisou que pretende levar o time para jogar em outras praças, além de Vila Belmiro e Pacaembu. Diferente de Oswaldo de Oliveira, ex-técnico santista e que sempre relutou por jogar longe da Vila, Enderson Moreira diz entender a estratégia do clube.

“A questão da direção é muito clara. Para a gente é muito melhor jogar na Vila. A direção foi clara que precisa abrir mão de jogar na Vila por uma questão financeira. Mesmo que tenhamos um prejuízo na questão técnica, temos que ser parceiros e entender essa situação”, comentou o atual comandante do elenco.

Neste domingo, o Santos é mandante no duelo contra o Red Bull Brasil, mas atuará em São José do Rio Preto.

Colunas

Contraponto