Banner gripe

David Braz enaltece sistema defensivo e pede paciência à torcida

O time não sofreu gols, mesmo com um sistema defensivo todo novo, formado por Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201513h47

O Santos surpreendeu muita gente com a vitória convincente na estreia do Campeonato Paulista. Os 3 a 0 contra o atual campeão Ituano não eram esperados por grande parte dos torcedores e da própria mídia. Porém, no duelo seguinte, o time sentiu mais uma vez o fato de jogar como visitante e não saiu do zero no confronto contra o Mogi Mirim, lembrando que o gramado também dificultou que a equipe de Enderson Moreira desempenhasse um bom futebol.

O lado positivo ao analisar as duas primeiras rodadas se dá por conta da zaga. O time não sofreu gols, mesmo com um sistema defensivo todo novo, formado por Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho.

“Contra o Ituano, campeão paulista, eles deram dois chutes a gol. Contra o Mogi, foi mais difícil, eles estavam em casa, mas, no segundo tempo, não tiveram chances. Nos comportamos muito bem. Espero que a gente possa continuar ajudando o Santos a não tomar gols”, analisou Braz, um dos líderes do elenco, ressaltando a importância da conscientização do time e comprometimento com a marcação. “É coletivo, não só a parte defensiva. Vi Robinho dando carrinho. Ninguém espera ver um jogador como ele dando carrinho. Mérito da equipe, da comissão, por fazer uma equipe equilibrada”, completou.

Para quem assistiu as duas partidas do Alvinegro praiano até aqui, no entanto, o duelo da última quarta-feira foi um verdadeiro teste de paciência, principalmente para o torcedor santista, que sempre prima por um bom futebol, mas deve de se contentar com bicões e muita disposição, apenas.

“A torcida quer que a gente esteja bem em todos os jogos, mas só quem está lá dentro sabe da dificuldade que é. Até a gente se achar dentro de campo, demorou. Tivemos mais oportunidades no segundo tempo. Não conseguimos a vitória, mas também não perdemos. Isso é importante”, explicou David Braz, assumindo o discurso dos jogadores logo após o empate que manteve o Santos na liderança do Grupo D, com quatro pontos.

Neste domingo, o Peixe volta a campo, agora para enfrentar o Red Bull Brasil, em São José do Rio Preto. Enderson Moreira ainda não definiu a equipe, mas, após repetir a escalação nas duas oportunidades, deve iniciar o rodízio e a preservação de alguns atletas.

“Cabe ao treinador. Vamos fazer um treinamento e vamos ver o que o Enderson vai falar. Tudo vai ser na base da conversa. Se eu tiver que ser poupado, não terá problema”, garantiu Braz.

Colunas

Contraponto