Em meio as finais, Santos dá início a missão ‘fica Robinho’

A importância do atacante de 31 anos para a equipe seguir brigando por títulos nesta temporada é vista por muitos no clube como fundamental

Comentar
Compartilhar
27 ABR 201512h16

Devido a um edema na coxa esquerda e de olho na decisão do próximo domingo, na Vila Belmiro, Robinho sequer entrou em campo na derrota santista por 1 a 0 no duelo de abertura das finais do Campeonato Paulista, no domingo à tarde, mas foi, sem dúvida, o nome mais citado na coletiva de imprensa do técnico Marcelo Fernandes, logo após o clássico contra o Palmeiras, no Palestra Itália.

A importância do atacante de 31 anos para a equipe seguir brigando por títulos nesta temporada é vista por muitos no clube como fundamental. Por isso, nesta segunda-feira a noite, o presidente Modesto Roma Jr, acompanhado do gerente de futebol, André Zanotta, viaja rumo à Itália com a intenção de prorrogar o vínculo do craque com o Peixe. Ambos vão encontrar o vice-presidente César Conforti, que está em um Congresso de Medicina na Europa.

As tratativas devem se alongar até o próximo fim de semana. O retorno dos dirigentes está prevista para sábado, véspera da grande decisão do Paulistão, na Vila Belmiro. Dia 30 de junho expira o empréstimo de Robinho com o Santos e, teoricamente, o atleta tem de retornar ao Milan, clube que detém seus direitos econômicos até agosto de 2016.

Para a diretoria do Santos, Robinho é peça fundamental do Santos para a briga por títulos (Foto:Divulgação/Santos FC)

Em crise financeira, o time rubro-negro de Milão não pretende contar com o camisa 7 em seu elenco e o objetivo é buscar uma comprador. Para isso, o Milan tem oferecido o jogador a mercados como o dos Estados Unidos, o Chinês e até para times do futebol árabe, locais onde atualmente dinheiro não é problema. Sem espaço na Europa, Robinho, porém, ainda desperta interesse de clubes brasileiros como o Flamengo, que no início da temporada admitiu que gostaria de contar com o jogador, que inclusive foi sincero ao dizer que via com bons olhos a possibilidade de atuar no clube carioca.

Sendo assim, a diretoria alvinegra quer resolver logo a questão. Recentemente, Marisa Alija Ramos, representante de Robinho, se reuniu com Modesto Roma Jr e Dagoberto Santos, CEO do clube, e manifestou o interesse do atleta em seguir vestindo a camisa do time da Vila Belmiro, entretanto, com a condição de que algumas dívidas fossem sanadas.

Na Itália, a missão de Modesto Roma Jr é encontrar uma forma de segurar Robinho no Peixe. O prolongamento do empréstimo vigente até o fim do contrato do jogador com o Milan, com os italianos tendo o direito de vender o atacante a qualquer momento, caso uma proposta concreta seja apresentada, deve ser o caminho do mandatário em busca de um acordo. A compra definitiva de Robinho também não está descartada, mas dependeria do Milan aceitar as condições impostas pelo Santos, que também vive uma de suas piores crises financeiras dos últimos anos.

Desde que retornou para esta que é sua terceira passagem pela equipe que o revelou para o futebol, em agosto de 2014, Robinho não recebeu direitos de imagem em nenhum mês. Além disso, em 2010, a gestão de Luis Álvaro também contraiu algumas dívidas com o Rei das Pedaladas. Hoje, o Santos deve cerca de R$ 7 milhões a sua principal estrela e capitão. Vale lembrar que com a transferência do lateral direito Danilo do Porto para o Real Madrid, o Peixe receberá, de forma parcelada, pouco mais de R$ 6,6 milhões. O valor cairá ‘como uma luva’ no caixa santista e pode ser uma alternativa para manter Robinho no Santos.