Em jogo de viradas e 7 gols, Palmeiras bate Grêmio e segue 100% em casa

Com o resultado, o Verdão chega aos nove pontos, ocupando a quinta colocação do torneio nacional

Comentar
Compartilhar
02 JUN 2016Por Gazeta Press23h04
Gabriel Jesus fez o primeiro gol do jogoGabriel Jesus fez o primeiro gol do jogoFoto: Ricardo Nogueira/Rawai

No dia em que o clube comemorou os 20 anos da irretocável conquista do Campeonato Paulista de 1996, o Palmeiras encheu sua torcida de orgulho. Na fria e chuvosa noite desta quinta-feira, Verdão e Grêmio fizeram jogo emocionante e polêmico válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, que terminou com vitória alviverde, de virada, por 4 a 3, no Estádio do Pacaembu, já que o Palestra Itália estava reservado para um show.

O time da casa superou a até então intransponível defesa gaúcha logo no primeiro minuto da partida, com Gabriel Jesus. No entanto, os visitantes empataram no último lance da primeira etapa, em gol irregular do zagueiro Bressan. A equipe de Porto Alegre viraria o placar no início do segundo tempo, com Juliano, mas o Palmeiras fez valer o canto de sua torcida e mostrou por que é o “time da virada”, com tentos de Róger Guedes e Vitor Hugo. No fim, Thiago Santos, que fora a grande surpresa no time titular de Cuca, fez o quarto antes de o Tricolor Gaúcho diminuir nos acréscimos com o ex-corintiano Edílson.

Com o resultado, o Palmeiras segue com 100% de aproveitamento na condição de mandante, uma vez que já havia batido Atlético-PR e Fluminense no Palestra Itália, e chega aos nove pontos, ocupando a quinta colocação do torneio nacional. O Grêmio, por sua vez, que começou a rodada como líder, permanece com sete pontos e cai para o segundo lugar, atrás apenas do arquirrival Internacional.

Agora, o Alviverde buscará somar seus primeiros pontos como visitante no próximo domingo, a partir das 16 horas (de Brasília), quando enfrentará o Flamengo, em Brasília. Já o Tricolor Gaúcho tentará se recuperar diante da ponte Preta, no sul do País, no mesmo dia e horário.

Gol relâmpago

O Grêmio começou a partida como a única equipe do torneio sem ter levado sequer um gol após quatro rodadas, marca que sobreviveu só até o primeiro minuto do confronto desta noite. Dudu encontrou Gabriel Jesus na direita, o camisa 33 recebeu livre e finalizou com perfeição na saída do substituto de Marcelo Grohe, Bruno Grassi. A zaga gaúcha, enfim, era superada na competição. A torcida visitante, então, acendeu sinalizadores, artefatos proibidos nas arquibancadas, e paralisou o jogo por mais de cinco minutos.

Após o gol, o Verdão recuou e quase pagou o preço por isso aos 14, quando o atacante Luan passou por dois palmeirenses e, da entrada da área, bateu colocado. A bola tirou tinta da trave de Fernando Prass. Os palmeirenses que enfrentaram a fria e chuvosa noite desta quinta perceberam o mau momento e gritaram em apoio ao time, que não conseguia manter a posse de bola e a perdia com facilidade para os adversários, parados muitas vezes com faltas.

Tanto que os donos da casa só voltaram a ameaçar a meta gaúcha aos 31 minutos, com uma sequência de chutes de Gabriel Jesus e Moisés, ambos bem defendidos por Grassi. Àquela altura, o Palmeiras havia acertado a marcação no meio-campo e no lado esquerdo, muito em função da melhora de Moisés e de Jesus que passou a voltar mais para dar o bote, e tinha mais a bola nos pés.

Castigo

Com muita água caindo do céu, o Alviverde assumiu o controle da partida e quase ampliou o placar aos 47: após cobrança curta de escanteio, Dudu recebeu de volta e cruzou na área, Moisés subiu sozinho e cabeceou, mas a bola passou por cima da meta de Grassi.

Como quem não faz, toma, o Grêmio no lance seguinte não perdoou. Após bola lançada na área, Geromel testou na trave. No rebote, Bressan, em posição irregular, bateu e no que desviou em Giuliano, também em impedimento, enganou Prass, gerando a ira dos jogadores e torcedores palmeirenses. Para piorar, o gol foi feito depois de 25 segundos além dos quatro minutos de acréscimo. Dessa forma, o árbitro Marielson Alves Silva, que já vinha ouvindo reclamações do técnico Cuca, precisou de escolta policial para descer aos vestiários.

Segundo tempo elétrico com vira-vira

Se a água deu uma trégua no Pacaembu, os gols nem tanto. Em busca de colocar mais velocidade no jogo, o Palmeiras voltou para o segundo tempo com Róger Guedes no lugar do centroavante Alecsandro, mas nem por isso melhorou. Após pressionar o time gaúcho nos instantes iniciais, o Verdão, nervoso em campo, sofreu a virada aos nove minutos, quando Giuliano recebeu passe do ex-corintiano Edílson na pequena área e só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Só que nem deu tempo para a torcida visitante comemorar. Isso porque dois minutos depois Róger Guedes “sem querer” e de costas encobriu o goleiro do Grêmio após bola na área. Aos 17, quase a virada do Verdão: Dudu dá bom passe para Gabriel Jesus, que invadiu a área e bateu cruzado para boa defesa de Grassi. Na sequência, Moisés recebeu em boas condições na direita e chutou com perigo antes de Róger Guedes se infiltrar pela esquerda e arrematar por cima do travessão.

Empurrado pela torcida e mais elétrico na partida, o Palmeiras seguiu em cima do Tricolor Gaúcho e ameaçou a meta de Grassi, com finalizações dos volantes Tchê Tchê e Matheus Sales. Tanta pressão seria recompensada aos 27 minutos da etapa decisiva, quando  o saltitante Vitor Hugo subiu mais alto do que todo mundo após cobrança de escanteio para testar firme e sem chances para Bruno Grassi. Era o entoado “time da virada” que reassumia a liderança do placar.

Para segurar o resultado, Cuca tirou Moisés e colocou o zagueiro Thiago Martins, além de promover a estreia do lateral Fabrício, que entrou no lugar de Tchê Tchê. Mas a retranca nem foi necessária, porque aos 38 Dudu cobrou falta na cabeça de Thiago Santos, que ampliou o marcador antes do ex-corintiano Edílson diminuir nos acréscimos e dar números finais à partida.