Corinthians fica no zero com o Criciúma, mas termina turno no G-4

Graças ao empate do Fluminense com o Cruzeiro, no entanto, o time do Parque São Jorge conseguiu terminar o primeiro turno entre os quatro primeiros

Comentar
Compartilhar
07 SET 201418h26

O Corinthians acumulou sua terceira partida consecutiva sem vitória no Campeonato Brasileiro. Em visita ao Criciúma, uma partida tecnicamente fraca no Heriberto Hülse, a equipe alvinegra não conseguiu nada além de um empate por 0 a 0, sua nona igualdade em 19 rodadas.

Graças ao empate do Fluminense com o Cruzeiro, no entanto, o time do Parque São Jorge conseguiu terminar o primeiro turno entre os quatro primeiros, agora 33 pontos – dez a menos que o líder. A formação catarinense, com 18, depende do complemento da jornada para saber se chegará à metade da disputa na zona de rebaixamento.

Superior apenas nos primeiros 25 minutos, o Corinthians parou no goleiro Luiz nesse período – e um lance de má pontaria do garoto Malcom –, fazendo muito pouco no restante do jogo. O Criciúma foi superior na etapa final e só não venceu com um gol de Paulo Baier por causa de uma ótima defesa de Cássio.

Corinthians fica no zero com o Criciúma, mas termina turno no G-4 (Foto: Fernando Ribeiro/Futura Press)

O jogo

Com a surpreendente escalação do garoto Malcom no ataque, o Corinthians teve o predomínio nas ações do primeiro tempo. Ainda que apresentasse alguma dificuldade para trocar passes no meio-campo, o time chegava com certa frequência à área adversária.

Após alguns minutos de cautela dos dois lados, os visitantes começaram a se soltar. A primeira oportunidade surgiu em boa jogada de Malcom, que deu de calcanhar para Bruno Henrique cruzar. Romero cabeceou e viu grande defesa de Luiz, que voltaria a trabalhar bem em cobrança de falta de Fábio Santos.

O mesmo Fábio Santos pegou rebote de escanteio e obrigou Luiz a trabalhar novamente. Em boa jornada, o goleiro acabou errando ao chutar uma bola no pé de Malcom, que invadiu a área com liberdade, usou a força em detrimento do jeito e bateu por cima.

A esta altura, Gilmar Dal Pozzo já havia gastado uma substituição, trocando o contundido zagueiro Alcides por Ronaldo Alves. Nos 20 minutos que antecederam o intervalo, o Criciúma conseguiu se assentar em campo e, se não criou chances, conseguiu frear o adversário.

Os anfitriões voltaram do intervalo com Paulo Baier no lugar de Lucca. O Corinthians não teve alterações de nome, mas passou do 4-2-3-1 para o 4-4-2, com Renato Augusto, antes centralizado, caindo pela direita. Malcom foi liberado para atuar ao lado de Romero na frente.

Muito pouco aconteceu até os 18 minutos, quando, irritado com a produção ofensiva de seu time, Mano Menezes trocou Malcom por Jadson. Pouco menos de dez minutos depois, perdeu a paciência com os erros defensivos de Fagner, colocando Ferrugem em seu lugar.

Mesmo mal no ataque, o Corinthians poderia ter aberto o placar em falta batida por Jadson, após a qual Felipe foi empurrado na área. O árbitro Igor Junio Benvenuto, que mostrou uma predileção especial por faltas de ataque, preferiu apontar infração do beque corintiano.

Avançando especialmente pela esquerda, o Criciúma tinha um volume maior – Paulo Baier chegou a marcar, embora em clara posição de impedimento. A resposta foi em cruzamento de Bruno Henrique, mas Jadson não conseguiu o domínio que o deixaria na cara do gol.

Danilo no lugar de Petros foi a última tentativa de Mano, mas foram os donos da casa que estiveram mais perto da vitória. Paulo Baier saiu na cara de Cássio, que fez grande defesa para impedir o gol aos 37 minutos. Os visitantes não tiveram mais nenhuma oportunidade.