Contra Goiás, Peixe se despede de Claudinei para igualar 2007

Querendo os 58 pontos na Série A, o Peixe, vindo de dois triunfos consecutivos, aparece na oitava colocação, mas não tem mais objetivos concretos no torneio nacional

Comentar
Compartilhar
08 DEZ 201312h37

O jogo contra o Goiás, neste domingo, no Serra Dourada, será muito especial para o técnico Claudinei Oliveira: despedindo-se do Santos, o treinador poderá confirmar a melhor campanha do time em Campeonatos Brasileiros desde 2007, quando foi vice-campeão – o rival São Paulo ficou com o título.

Do outro lado, a equipe esmeraldina sonha com a classificação para a Libertadores, e uma vitória confirmará a histórica vaga. Tropeços do Botafogo e do Vitória, concorrentes diretos, ainda selarão os goianos na competição continental até em caso de empate em Goiânia.

Querendo os 58 pontos na Série A, o Peixe, vindo de dois triunfos consecutivos, aparece na oitava colocação, mas não tem mais objetivos concretos no torneio nacional. Logo, todas as atenções voltam para Claudinei Oliveira, prestes a ser substituído pelo botafoguense Oswaldo de Oliveira.

“É meio complicado. Criei um laço com o elenco. O tempo que fiquei aqui não foi pouca coisa, não tem como não sentir. Mas o coração está tranquilo, é uma tristeza boa, saio pela porta da frente”, disse o comandante no CT Rei Pelé, onde não teve muitas dificuldades para escalar o time.

“É meio complicado. Criei um laço com o elenco. O tempo que fiquei aqui não foi pouca coisa, não tem como não sentir

Os volantes Arouca, voltando de suspensão, e Alison, recuperado de dores na coxa, são as novidades, assim como o zagueiro Durval, que substitui o capitão Edu Dracena, suspenso. Enquanto isto, o Goiás faz suspense sobre a presença do gordinho Walter, dúvida no departamento médico.

Recuperando-se de lesão no tornozelo, o artilheiro evoluiu durante os treinamentos desta semana, mas só deverá ter participação confirmada momentos antes do duelo. Com ou sem ele, o meia Renan Oliveira pede seus colegas fortes no Serra Dourada.

“É uma decisão muito importante. Chegou o momento em que comissão técnica, jogadores e torcedores estavam esperando, pra ver se a gente vai ou não pra Libertadores. Temos obrigação de ganhar para que as nossas chances aumentem”, comentou.

Goiás e Santos voltarão a se encontrar no Serra Dourada após três anos. No Brasileirão de 2010, Neymar comandou a goleada alvinegra por 4 a 1, marcando três gols. Danilo completou o placar visitante, e Ernando descontou para os mandantes na capital goiana.