Barcelona vence Milan com dois gols de Messi e garante classificação

O time catalão soma agora 10 pontos, contra 5 do clube italiano e 4 do Ajax, que fez 1 a 0 sobre o Celtic, na Holanda

Comentar
Compartilhar
06 NOV 201319h55

O Barcelona já está classificado para a próxima fase da Liga dos Campeões. Jogando no Camp Nou, nesta quarta-feira, o time espanhol fez 3 a 1 sobre o Milan (com dois gols do antes questionado argentino Lionel Messi) e aumentou a sua vantagem na liderança do grupo H do torneio. Soma agora 10 pontos, contra 5 do clube italiano e 4 do Ajax, que fez 1 a 0 sobre o Celtic, na Holanda. A equipe escocesa figura na lanterna, com 3.

O Barcelona conseguiu se distanciar no placar logo no primeiro tempo do encontro com o Milan. Messi converteu um pênalti sofrido pelo brasileiro Neymar (e muito contestado pelos adversários) aos 30 minutos do primeiro tempo, com um chute forte no meio do gol. O volante Busquets usou a cabeça para ampliar aos 39, após falta cobrada por Xavi.

Com Kaká e Robinho (que foi substituído por Mario Balotelli no segundo tempo) como titulares, o Milan conseguiu descontar ainda na etapa inicial. O antigo armador do Real Madrid arrancou pela esquerda, cruzou e contou com um desvio de Piqué para acertar a rede. Os visitantes melhoraram a partir de então, mas ainda sofreram um belo gol de Messi.

O próximo compromisso do Barcelona será fora de casa contra o Ajax, que ganhou com gol de Lasse Schone nesta quarta-feira. O Milan buscará a sua reabilitação diante do Celtic, também como visitante. A rodada, a penúltima da chave, será disputada na terça-feira de 26 de novembro.

Lionel Messi, do Barcelona, marca gol em cobrança de pênalti diante do goleiro Abbiati, do Milan (Foto: Associated Press)

O jogo

Os atacantes brasileiros se credenciavam a protagonistas antes de a partida começar no Camp Nou. Os telões do estádio focalizaram os abraços fraternais dos sorridentes Neymar, Robinho e Kaká. Quando a bola rolou no primeiro tempo, quem mais ficou em evidência foi o jogador do Barcelona.

Ao seu estilo, com muita troca de passes diante da área, o time catalão logo assumiu o controle da partida. O Milan foi ao Camp Nou como a maioria dos visitantes do estádio – disposto a se defender e contra-atacar esporadicamente. O que fez Robinho e Kaká, os principais encarregados do setor ofensivo italiano, serem pouco participativos.

Já Neymar, aberto do lado esquerdo (como de costume no Barcelona), tentou intimidar a marcação do Milan com jogadas de efeito. Conseguiu levantar a torcida catalã dessa maneia – e até irritar o lateral direito Abate –, porém não chegava a ser suficientemente produtivo para assustar o goleiro Abbiati.

Lionel Messi se mostrava tão empolgado quanto Neymar. Questionado pelas recentes atuações abaixo da média, o melhor do mundo era quem mais forçava as jogadas pelo Barcelona. Fugia ao toque de bola para arrancar, fazer assistências longas ou bater no gol – embora sem tanto sucesso.

Foi pela ala de Neymar, contudo, que o Barcelona quase abriu o placar. Aos 20 minutos, Adriano fez bom cruzamento da esquerda. A bola passou por Abbiati, mas também por Alexis Sánchez. Logo em seguida, o goleiro pareceu desestabilizado ao devolver um recuo de bola de Mexés na cabeça do chileno, que acertou o lado externo da rede.

Aos 30 minutos, Neymar se desequilibrou – e desequilibrou – para o Barcelona. O brasileiro caiu dentro da área em disputa de bola com Abate, e o árbitro sérvio Mlorad Mazic não hesitou em apontar a marca da cal. Messi se encarregou de cobrar o pênalti e, com um forte chute no centro do gol, inaugurou o marcador.

Em desvantagem, o Milan tentou mudar a sua postura retraída. Não teve muito tempo para ameaçar empatar. Aos 39, Xavi levantou a bola na área em cobrança de falta, e a defesa visitante parou. Busquets aproveitou para subir com estilo e cabecear para o chão, ampliando o placar para o Barcelona.

Quando o jogo já parecia tranquilo para a equipe mandante, contudo, o Milan chegou ao empate. Ainda antes do intervalo, aos 44 minutos, Kaká arrancou pela esquerda e fez um cruzamento firme, com veneno. Piqué desviou, jogou contra a própria rede e foi para o vestiário indignado com a sua infelicidade no lance.

Ainda vivo na partida, o Milan decidiu se lançar ao ataque com Mario Balotelli no lugar de Robinho no segundo tempo. Foi assim que começou a incomodar o Barcelona, que aceitou a estratégia de jogar nos contra-ataques. O confronto ficou aberto, com boas oportunidades de gol para os dois lados.

Quando o Barcelona chegou, entretanto, foi mais perigoso. Iniesta quase marcou o seu gol com um chute da entrada da área, bem defendido por Abbiati. Já Neymar levantou a torcida ao fazer fila da esquerda para o meio da área e ensaiar um gol de placa aos 28 minutos. Desequilibrado, errou a conclusão e mandou a bola para fora.

Aos 37, não teve jeito. Messi tabelou com Fábregas, que havia substituído Iniesta, e apareceu na cara do gol para conferir e sacramentar a classificação catalã à próxima fase da Liga dos Campeões. Àquela altura, apesar da grande disposição de Balotelli, já não era mais possível evitar a derrota do Milan no Camp Nou.