Com Neymar ascendente, Barça recebe Milan em crise para encaminhar vaga

Estes primeiros três meses do brasileiro são promissores, uma vez que, em 15 jogos oficiais pelo Barça, ele já soma já soma quatro gols e oito assistências

Comentar
Compartilhar
06 NOV 201310h15

Em um novo momento e ainda buscando se afirmar sob o comando de Gerardo Martino, o Barcelona terá um importante desafio nesta quarta-feira, a partir das 17h45 (de Brasília), no estádio Camp Nou. Enfrenta o poderoso – mas adormecido – Milan pela 4ª rodada da Liga dos Campeões da Europa e pode deixar a vaga para as oitavas de final muito bem encaminhada ao fim dos 90 minutos. O time espanhol lidera o Grupo H com sete pontos e, em caso de vitória, abrirá cinco de vantagem sobre os italianos, segundo colocados, com apenas duas partidas restantes.

Para conseguir isto, a principal arma catalã – por incrível que pareça – não é Lionel Messi. Apesar de artilheiro da equipe no ano com 12 gols, o argentino não balança as redes há três jogos e vive umum jejum raro em sua carreira. Por outro lado, Neymar vem em ascendência e foi o grande destaque do time nos últimos jogos. Além de marcar um gol e dar um assistência no clássico diante do Real Madrid, há duas semana, pelo Campeonato Espanhol, livrou o Barcelona do sufoco no dérbi contra o Espanyol, na última rodada, ao acertar mais um passe para gol na vitória por 1 a 0.

Por isto, já é considerado peça fundamental na nova realidade do Barcelona. Desde a chegada do treinador Gerardo Martino, fala-se em uma mudança de estilo do time, que, segundo alguns críticos, virou refém do ‘tiki-taka’ e sua excessiva posse de bola. Neste ‘novo Barça’, Neymar representa o drible e a verticalidade que faltava à equipe de Camp Nou, ainda adaptando-se ao jogo mais objetivo. Estes primeiros três meses do brasileiro são promissores, uma vez que, em 15 jogos oficiais pelo Barça, ele já soma já soma quatro gols e oito assistências.

Pelo lado do Milan, a realidade é completamente diferente. Apesar de também viver um período de transição – após anos de conquistas sob o comando de Carlo Ancelotti -, o time rossonero ainda busca uma renovação consistente e vive um momento delicado na temporada. Neste momento, no Campeonato Italiano, vê-se a 16 pontos da zona de classificação para a Liga dos Campeões da Europa e a apenas três da de rebaixamento para a segunda divisão nacional.

Em grande momento, o jovem Neymar é a esperança do Barcelona para mais uma vitória no estádio Camp Nou (Foto: Manu Fernandez/Associated Press)

Apesar disto, o discurso no Barcelona é de respeito ao clube sete vezes campeão do maior torneio e clubes da Europa. “O Milan é um equipe de hierarquia, tradição e categoria. Não começaram bem a temporada, mas, nas partidas que tinham que mostrar força, conseguiram jogar bem”, explicou Mascherano, citando os jogos contra a Juventus (derrota por 3 a 2) e o primeiro duelo contra o Barcelona (empate por 1 a 1), há duas semanas.

A partida diante dos catalães no San Siro, aliás, deve ser usada como exemplo pelo técnico Massimiliano Allegri para escalar a sua equipe nesta quarta. Apesar disto, algumas mudanças importantes devem se feitas. O time deve ser escalado no 4-4-2 pela primeira vez na temporada, com Robinho atuando ao lado de Balotelli, e Kaká saindo da meia esquerda para jogar mais pelo centro. O brasileiro será apoiado por Montolivo, que tem a confiança do comandante, enquanto De Jong e Muntari ficam mais presos às funções defensivas. No gol, o brasileiro Gabriel, que não foi inscrito para a Champions, perde a vaga para Abbiati.

O Barcelona, por sua vez, entrará em campo com o seu tradicional 4-3-3, com Neymar, Messi e Alexis Sánchez formando o trio de ataque. A única dúvida de Tata Martino é a presença de Césc Fabregas, que poderia jogar no lugar do chileno ou na posição de Xavi, que dificilmente perderá o seu lugar. Na defesa, Mascherano atuará ao lado de Piqué, enquanto os brasileiros Daniel Aves e Adriano formarão as laterais. “Para a gente, não vai ser fácil enfrentar o Barcelona, por causa do estilo de jogo deles. Vivemos um momento difícil, mas a partida pode ser uma oportunidade. Temos que tentar fazer uma boa partida como na ida”, declarou Kaká, que, desde que voltou ao Milan, vem reencontrando seu bom futebol.

Barcelona e Milan se enfrentam nesta quarta-feira, às 17h5 (de Brasília), no estádio Camp Nou, na Catalunha. O time espanhol lidera o Grupo H da Liga das Campeões da Europa com dois pontos de vantagem sobre os italianos – que ainda não perderam nas três primeiras rodadas – e deve entrar em campo com: Váldes; Adriano, Piqué, Mascherano, Daniel Alves; Busquets, Xavi, Iniesta; Messi, Sanchez e Neymar. Os Rossoneri, por sua vez, têm tudo para serem escalados com: Abbiati; Abate, Mèxes, Zapata, Constant; De Jong, Muntari, Montolivo, Kaká; Robinho e Balotelli. No mesmo dia e horário, Ajax e Celtic medem forças na Holanda no complemento da 4ª rodada.