Gasolina e alimentos pressionaram IPC na 1ª prévia de março, diz FGV

Ao todo, cinco das oito classes pesquisadas perderam força na passagem do mês, enquanto as outras três aceleraram

Comentar
Compartilhar
10 MAR 201512h34

A trégua nos aumentos na conta de luz permitiu que a inflação varejista desacelerasse na primeira prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de março. O alívio, porém, não foi maior porque a gasolina registrou forte aumento no período, e os alimentos também pressionaram. Ao todo, cinco das oito classes pesquisadas perderam força na passagem do mês, enquanto as outras três aceleraram.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,88% na primeira prévia do IGP-M de março, após alta de 0,97% na primeira prévia de fevereiro, informou nesta terça-feira, 10, a Fundação Getulio Vargas (FGV). A coleta de preços para o índice anunciado hoje foi feita entre os dias 21 e 28 de fevereiro.

De acordo com a instituição, as tarifas de eletricidade residencial avançaram 0,63%, menos do que o aumento de 3,13% verificado em fevereiro. Com isso, o grupo Habitação desacelerou de 1,10% para 0,67% na passagem do mês.

No sentido contrário, a gasolina ficou 9,04% mais cara (Foto: Agência Brasil)

Também perderam força os grupos Educação, Leitura e Recreação (1 50% para 0,57%), Despesas Diversas (1,17% para 0,67%), Vestuário (-0,35% para -0,54%) e Comunicação (0,31% para -0,01%). Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram cursos formais (3,09% para 0,00%), cigarros (1,49% para 0,58%), roupas (-0,63% para -0,98%) e mensalidade para TV por assinatura (1,25% para 0 04%), respectivamente.

No sentido contrário, a gasolina ficou 9,04% mais cara, o que impulsionou o grupo Transportes (1,92% para 2,49%). Já as hortaliças e legumes aceleraram de 2,57% na primeira prévia de fevereiro para alta de 5,34% na leitura anunciada hoje.

Esse comportamento levou o grupo Alimentação a um aumento de 0 73% em março, contra avanço de 0,68% no mês passado. Além disso, também acelerou o grupo, Saúde e Cuidados Pessoais (0,44% para 0 59%) e Alimentação (0,68% para 0,73%). Nesta classes de despesa, destacam-se os artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,92% para 1,03%).

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou aumento 0,20% na primeira prévia do IGP-M de março, resultado que veio abaixo do mês anterior (0,67%). O resultado recebeu contribuições tanto do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços (0,95% para 0,24%) quanto do custo da mão de obra (0 42% para 0,16%).