Guia auxilia empresários e cidades a se prepararem para ‘gols’ na Copa

O GOL (Guia de Orientação Local) é uma publicação para empresários e gestores municipais não deixarem escapar oportunidades sem ferir regras da Fifa.

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201410h43

Se as seleções ainda se preparam para a Copa do Mundo, os empresários e as cidades do estado já podem ‘entrar em campo’. Na última sexta-feira (17), o Comitê Paulista e a prefeitura lançaram no Teatro Guarany o GOL (Guia de Orientação Local), uma publicação para empresários e gestores municipais não deixarem escapar as inúmeras oportunidades geradas sem ferir as regras da Fifa, uma vez que trata-se de um evento privado.

Em 95 páginas, o guia compartilha conhecimentos divididos em sete capítulos (ver quadro). “A ideia surgiu a partir da percepção das pessoas interessadas em participar da Copa, mas sem saber como fazer. Esperamos que desperte o entendimento de como aplicar as informações”, explicou Raquel Verdenacci, coordenadora do comitê, que citou como exemplo a possibilidade em decorar uma loja de verde e amarelo, mas sem usar o mascote da Copa na vitrine.

Se as seleções ainda se preparam para a Copa do Mundo, os empresários e as cidades do estado já podem ‘entrar em campo’, é o que propõe a publicação lançada na última sexta-feira, no Teatro Guarany

Para o secretário de Turismo, Luiz Dias Guimarães, o GOL é fundamental para quem está engajado em receber as seleções estrangeiras e os turistas. “Chegamos num momento em que a população se deu conta que a Copa vai acontecer em Santos pela vinda de duas seleções. O guia veio na hora certa porque todos estão interessados em receber essas orientações”, disse Guimarães, também secretário executivo do Comitê da Copa.

A versão em PDF do GOL pode ser baixada pelo site www.copa2014.sp.gov.br. Outras dúvidas são esclarecidas pelos comitês de cada município.

Mais de mil oportunidades são apontadas pelo Sebrae-SP
Para quem deseja aproveitar o mundial para fazer bons negócios, a hora é agora. São mais de mil oportunidades apontadas pelo Sebrae-SP, nos setores de turismo, serviços, tecnologia da informação, construção civil, agronegócios, entre outros.

A Baixada Santista, conforme o diretor superintendente da instituição, Bruno Caetano, está entre as áreas do estado que mais sentirão o impacto econômico pela proximidade com a capital, infraestrutura hoteleira e de serviços.

Para garantir ‘golaços’ é preciso preparo, planejamento, avaliação se o investimento terá retorno e, principalmente, mudança de visão empresarial, para utilização do modelo aplicado depois da Copa do Mundo. “Dá tempo de se preparar até junho, mas o momento é de arregaçar as mangas. Quem fizer isso, terá retorno”.

Cidades-base
Até o momento, nove cidades do estado abrigarão 12 das 32 seleções, antes e durante a competição. Na região, ficarão três delas: México e Costa Rica em Santos e Bósnia e Herzegovina em Guarujá. Outras cidades: Ribeirão Preto (França) Campinas (Portugal e Nigéria), Águas de Lindoia (Costa do Marfim), Itu (Japão e Rússia), Porto Feliz (Honduras), Guarulhos/hospedagem e Capital/ treino (Irã) e Mogi das Cruzes (Bélgica).

Foto: Isabella Carrari