Suspeito de estupro de mulher na Índia se mata na prisão, diz polícia

Acusado de dirigir o ônibus em que a estudante de 23 anos foi estuprada e agredida por um grupo de seis homens, se enforcou com suas próprias roupas

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201311h08

O principal suspeito do estupro e do espancamento que levou à morte de uma mulher em um ônibus de Nova Deli, em dezembro de 2012, cometeu suicídio na prisão nesta segunda-feira (11), disseram policiais. Ram Singh, acusado de dirigir o ônibus em que a estudante de 23 anos foi estuprada e agredida por um grupo de seis homens, se enforcou com suas próprias roupas, disse G. Sudhakar, oficial da prisão de Tihar. O ataque horrorizou a Índia e provocou protestos sobre o tratamento das mulheres no país.

Singh, juntamente com outros quatro homens, aguardava o julgamento sobre as acusações de estupro, rapto e assassinato. Ele estava preso sozinho em uma cela para evitar o suicídio, disse um funcionário da prisão sob a condição de anonimato, pois não estava autorizado a falar sobre o assunto. Ele disse que, na cadeia, os cinco homens estavam sendo mantidos em celas separadas de edifícios diferentes.

Se condenados, os homens poderão enfrentar a pena de morte. O sexto acusado está preso e será julgado em separado, pois ainda é menor de idade.

O advogado de Singh, A. P. Singh, confirmou a morte de seu cliente. No entanto, ele alegou que a causa do óbito foram os maus tratos da polícia. "O que você quer dizer com se matou? Ele foi morto na prisão", afirmou o advogado. As informações são da Associated Press.