SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Sob expectativa de relaxamento da quarentena, Doria anuncia novas medidas nesta quarta

As novidades anunciadas vão passar a valer a partir de 1º de junho, próxima segunda-feira

Comentar
Compartilhar
26 MAI 2020Por Da Reportagem16h23
Doria dará entrevista coletiva nesta quarta, no Palácio dos BandeirantesFoto: DIVULGAÇÃO

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), vai anunciar novas medidas para o relaxamento da quarentena no início da tarde desta quarta-feira. As novidades anunciadas vão passar a valer a partir de 1º de junho, próxima segunda-feira.

A "GloboNews" informou nesta terça-feira que o governador vai iniciar um relaxamento na quarentena em cidades que tiverem taxa de isolamento de pelo menos 55%, com redução no número de novos casos por 14 dias seguidos e com ocupação nos leitos de UTI inferior a 60%. Segundo a emissora, as regiões que cumprirem as determinações poderão reabrir na primeira fase, já a partir de 1º de junho, estabelecimentos comerciais e de serviços com área de venda igual ou inferior a 400 m² - incluindo espaços que ficam dentro de shoppings.

De acordo com o governo, porém, as informações divulgadas pela emissora sobre o cronograma do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena estadual "estão equivocadas". “Para tanto, basta observar que um dos itens citados na reportagem são hotéis, que nunca tiveram fechamento decretado. A reportagem tratou como fato novo informações divulgadas pelo Governo do Estado no dia 8 de maio”, disse o governo, em nota.

Na tarde da última segunda-feira (25), o governador tucano disse em entrevista à “GloboNews” que não pretende decretar o lockdown neste momento no Estado, mas uma “quarentena inteligente”.

“Neste momento não há perspectiva de lockdown imediato em São Paulo, mas o protocolo existe, ou seja, neste exato momento nós não vamos decretar lockdown nem na capital de São Paulo, nem em nenhuma outra cidade do estado de São Paulo, nós temos 645 municípios aqui, mas o olhar é diário, o acompanhamento é feito diariamente", disse Doria.

Em entrevista à Gazeta na última quinta-feira (21), o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, afirmou ser difícil a cidade de São Paulo decretar de forma isolada o lockdown na Capital, e deve esperar uma coordenação do governo estadual para avaliar a medida.

“É muito difícil a gente falar em lockdown em uma cidade altamente conurbada como é São Paulo. Para ter uma ideia, nós temos 1.746 ruas que fazem divisa com outros municípios. A calçada da direita e de São Paulo, a calçada da esquerda é de outra cidade. Um lockdown que tivesse efetividade, resultado epidemiológico, sanitário , não pode ser decretado só pela Capital. Ele precisaria ser decretado primeiro por esse conjunto de 39 cidade”.