Sete pessoas morrem por afogamento no feriado prolongado na Baixada Santista

Segundo os bombeiros, todas as vítimas são do sexo masculino. O mais novo tinha 21 anos

Comentar
Compartilhar
13 OUT 2020Por Folhapress19h39
Ao todo, os bombeiros atenderam 148 ocorrências de afogamento no litoral entre os dias 10 e 12 de outubroFoto: Rodrigo Montaldi/Arquivo DL

Pelo menos nove pessoas morreram durante o feriado prolongado de 12 de outubro em São Paulo por causa de afogamento. Sete desses casos ocorreram no litoral de São Paulo, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Três afogamentos aconteceram na cidade de Praia Grande, um em Mongaguá, um em Santos, um em Itanhaém e um em Bertioga.

Segundo os bombeiros, todas as vítimas são do sexo masculino. O mais novo tinha 21 anos. Três homens que perderam a vida afogados na região, neste fim de semana prolongado, tinham mais de 60 anos (62, 63 e 65).

Ao todo, os bombeiros atenderam 148 ocorrências de afogamento no litoral entre os dias 10 e 12 de outubro, 116 vítimas foram salvas e pelo menos três pessoas seguem desaparecidas.

Já nas represas de São Paulo ocorreram pelo menos dois casos, segundo os bombeiros. De acordo com os dados preliminares divulgados nesta segunda-feira (12), as duas vítimas estavam no Grajaú, zona sul da capital paulista, e em Penápolis (479 km de SP). Uma pessoa está desaparecida na cidade de Cerquilho (140 km de SP).

No feriado de 7 de Setembro, 18 pessoas morreram afogadas em represas e praias paulistas, segundo dados do Corpo de Bombeiros.

Na ocasião, boa parte dos afogamentos, também de acordo com os bombeiros, foi por causa do exagero com bebidas alcoólicas.

Outro problema comum é que muitos locais não são próprios para banho, como em represas do interior ou praias perigosas, mas, mesmo assim, banhistas se arriscam. Por isso os bombeiros ficam em alerta em fins de semana quentes.