Santos entrega 600 kits de roupas e 272 cobertores à população em situação de rua

Operação Baixas Temperaturas é realizada anualmente

Comentar
Compartilhar
31 JUL 2021Por Da Reportagem23h31
O trabalho contou com voluntários capacitados e cadastrados pelo programa Novo OlharO trabalho contou com voluntários capacitados e cadastrados pelo programa Novo OlharFoto: DIVULGAÇÃO/PMS

Solidariedade, empatia e união de esforços resultaram na distribuição de 600 kits de roupas e 272 cobertores à população em situação de rua de Santos durante os primeiros quatro dias da Operação Baixas Temperaturas – entre terça (27) e sexta-feira (30). Trata-se de um serviço social realizado todo ano pela Prefeitura, com o objetivo de garantir a preservação da vida diante da intensificação do frio.

Os kits contendo peças de roupas oriundas da Campanha do Agasalho foram entregues na unidade Mercado do restaurante popular Bom Prato. O trabalho contou com voluntários capacitados e cadastrados pelo programa Novo Olhar, da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), e seguirá nesta segunda-feira (2).

Já do total de cobertores, 180 foram doados pelo grupo Nação do Bem - Santos e entregues no Bom Prato. Os demais 92 foram distribuídos na noite de sexta-feira (30) em ação realizada pela equipe da Seds, com a participação de voluntárias capacitadas pelo Novo Olhar. Em um micro-ônibus, elas percorreram locais como Zona Noroeste, Centro, Valongo, José Menino, Pompeia, Gonzaga, Embaré, Boqueirão e Aparecida.

“Fomos em locais previamente mapeados pela equipe de abordagem social e fizemos a entrega de cobertores e do folder do Nova Olhar, que tem as informações sobre o Centro Pop e os serviços de acolhimento. Agradecemos à sociedade civil, que foi mais que doadora, foi parceira do nosso trabalho. Juntos somos mais fortes”, disse a gestora do programa, Juliana Laffront, ressaltando que será feito monitoramento da temperatura para a continuidade das ações.

Afeto

Voluntária do programa, a psicanalista Graça Matos, 56 anos, moradora do Gonzaga, participou da ação no micro-ônibus. “Foi muito gratificante, foi uma forma de exercer a empatia. Trabalho com terapia familiar e, nos meus atendimentos, vejo o sofrimento de famílias que estão com filhos, maridos e irmãos na rua. Eles relatam a preocupação com seus entes queridos. Então, esta foi uma forma de ajudar estas famílias, mesmo que indiretamente, e poder levar um pouquinho de carinho e afeto a estas pessoas que vivem nestas condições”.

O aposentado Luiz Monteiro Guimarães, 58, da Ponta da Praia, participou como voluntário da ação de distribuição dos kits, no Bom Prato do Mercado. “Vi de perto o esforço e a proatividade da Prefeitura em minimizar as condições precárias dessas pessoas e me senti satisfeito de poder colaborar. É o mínimo que a gente pode fazer”.

Equipes de abordagem

Seguem rodando pela Cidade, em dois carros durante o período noturno, as equipes de abordagem social da Prefeitura, ampliadas em razão da operação. Elas conscientizam as pessoas em situação de rua em relação à possibilidade de irem para os abrigos municipais, que dispõem de mais de 300 vagas, e também distribuem agasalhos e cobertores para aqueles que, por algum motivo, rejeitam o acolhimento.

A operação está programada para acontecer até este fim de semana, mas pode ser prorrogada por tempo indeterminado, caso as temperaturas se mantenham baixas.

Unidade temporária de acolhimento

Considerando os dias de frio mais intenso, a Seds estruturou uma unidade municipal temporária na Região Central para receber emergencialmente mais 40 pessoas em situação de rua para pernoite, se necessário. A unidade está adaptada com colchões, cobertores, travesseiros e itens de higiene.

“Caso as vagas nos serviços de acolhimento institucional cheguem próximo à lotação máxima, que é de mais de 300, o local funcionará no período noturno para ampliar a capacidade de acolhimento emergencial. A estrutura já está preparada”, explica o secretário de Desenvolvimento Social, Carlos Mota, ressaltando que ainda há vagas e que o monitoramento é feito diariamente.

Centro Pop

Porta de entrada para o acolhimento, o Centro Pop (Rua Amador Bueno, 446, Paquetá) mantém o atendimento ampliado. Na unidade, a média diária de atendimentos passou de 50 para 80, representando aumento de 60%. O serviço, já mantido de segunda a sexta-feira (das 8h às 17h), agora também funciona aos sábados, domingos e feriados (das 9h às 13h). No local, as pessoas em situação de rua recebem lanche, higienização e roupas, e participam de atividades e atendimento técnico.

Abrigos

Os abrigos funcionam como uma casa durante o período em que o morador em situação de rua permanece acolhido. Eles podem passar o dia no local, onde há uma equipe de acolhimento que trabalha todas as questões da casa em conjunto com os atuais moradores. Nas unidades também são oferecidas quatro refeições diárias e itens de higiene, como sabonete, escova de dente e creme dental.

Já na Casa de Inverno, onde é prestado atendimento específico para baixas temperaturas, os moradores não podem passar o dia inteiro, pois a unidade abre apenas no período noturno. No local são oferecidos os kits de higiene, assim como jantar e café da manhã.

EQUIPAMENTOS DE ACOLHIMENTO DA PREFEITURA

Por encaminhamento (Abordagem Social) e demanda espontânea:
Casa de Inverno - Endereço: General Câmara, 249, Paquetá
Outros abrigos em funcionamento:
Seacolhe-AIF;
Casa Êxodo;
Albergue Noturno;
Seabrigo-AIF;
Casa das Anas.