Banner gripe

Prefeitura de Santos pode gastar R$ 873 mil em televisores

São 400 aparelhos que vão de 32 a 50 polegadas. Processo já foi publicado e o gerenciamento dos equipamentos ficará a cargo da Secor

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201510h54

Um olho no trabalho e outro na tela. A Prefeitura de Santos poderá  gastar este ano exatamente R$ 873 mil na compra de 400 televisores para serem utilizados pelas secretarias municipais. A homologação do processo licitatório via pregão eletrônico já foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) e o gerenciamento dos equipamentos ficará a cargo da Secretaria de Comunicação e Resultados (Secor).

A homologação não obriga a compra. Ou seja, garante apenas reserva do dinheiro para uma possível aquisição dos equipamentos. Serão 100 aparelhos de 32 polegadas ao preço unitário de R$ 1.400,00; 200 de 40 ou 42 polegadas ao preço unitário de R$ 2.115,00 e mais 100 de 50 polegadas, pelo preço de R$ 3.100,00 cada. Os equipamentos são todos de LED, com configurações mínimas, incluindo acesso à internet.

A Administração Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) possui 17 secretarias. Neste sentido, cada secretário terá, até o final deste ano, direito de solicitar 23 equipamentos, visto que o processo é de fornecimento dos aparelhos por 12 meses.

Prefeitura

 

Procurada para justificar a possível compra, a Prefeitura de Santos confirmou que processo refere-se à ata de registro em que não há obrigatoriedade de compra, e sim um registro de preços que poderá ser utilizado, até o limite do quantitativo previsto, pelo período de um ano. “A ata foi aberta para que as secretarias, caso necessitem, possam adquirir o produto por um valor que deverá ser mantido pela empresa pelo período de um ano, e não em compras separadas o que acarretaria maior valor”, esclarece.

Ainda segundo a Administração, os televisores poderão ser disponibilizados nos equipamentos da Prefeitura, principalmente nas áreas de saúde, cultura, assistência social e turismo, proporcionando ao munícipe informações de utilidade pública e entretenimento em salas de espera, de internações e outros. Especificamente na educação também serão utilizados de forma lúdico-pedagógica.
 

Colunas

Contraponto