Pluviômetros automáticos estão em fase de testes em Guarujá

Os equipamentos, de alta tecnologia, foram adquiridos, sem custos,

Comentar
Compartilhar
11 MAI 201514h40

Para monitoramento contínuo do volume pluviométrico, disponibilizando dados de intensidade de chuvas, a Prefeitura de Guarujá conta com 15 pluviômetros automáticos que estão em fase de testes na Cidade. Os equipamentos, de alta tecnologia, foram adquiridos, sem custos, junto ao Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Segundo o diretor da Defesa Civil de Guarujá, Ademir Altmann os locais onde estão instalados foram definidos estrategicamente para monitorar toda a Cidade. “Desta forma, poderemos observar a quantidade de chuva em diferentes pontos e a partir desses dados decidir para onde deslocar a equipe, ou seja, agir de acordo com a maior necessidade”, explicou.

Totalmente eletrônicos, os pluviômetros funcionam por meio de energia solar. Os dados sobre quantidade e distribuição das chuvas são emitidos via satélite para o Cemaden, que disponibiliza de imediato a central na Defesa Civil de Guarujá. Assim, as informações emitidas ajudarão a propor ações de prevenção a desastres e alertas mais precisos sobre as condições do município, auxiliando na promoção da segurança da comunidade.

A medida contribui para que as defesas civis sejam municipais, estaduais e do Distrito Federal, promovam ações preventivas que minimizem o número de vítimas e os danos materiais decorrentes de desastres naturais.

Guarujá contava com dois pluviômetros, um no Cemitério da Vila Júlia e outro na sede da Defesa Civil, mas são equipamentos de uso manual. Para se saber a quantidade de água das chuvas era necessário ir até o local para fazer a medição. Com os aparelhos novos, as informações são automáticas e vindas de diversos pontos da Cidade.

“A nova tecnologia traz um grande avanço para o poder de resposta da Defesa Civil em grandes emergências no município, o que facilitará tomar medidas preventivas e reduzir os riscos de desastre com probabilidade de danos e perdas à população causada pelos fenômenos da natureza”, disse o diretor da Defesa Civil.

Segundo ele, a conquista se deve a preocupação da atual administração em contar com uma linha de ação sobre áreas de risco relacionadas a escorregamento de encostas, enxurradas e inundações.

1. Sítio São Pedro

2. Forte dos Andradas

3. Cemitério do Morrinhos

4. UNAERP ( campus Guarujá )- Enseada

5. Marina Porto do Sol- Rabo do Dragão

6. UPA do Perêque

7. Posto da Nudec Moto Ciclística

8. Centro Esportivo Dom Domênico

9. SAIPEM do Brasil

10. Paço da Prefeitura Municipal de Guarujá

11. Cemitério da Saudade

12. Sede da Guarda Municipal de Guarujá

13. Sede da Defesa Civil de Guarujá

14. Local a ser definido

15. Local a ser definido