FEMINICIDIO

Oficinas Querô abrem inscrições para turma 2015 de audiovisual

Jovens entre 14 e 18 anos, estudantes de escolas públicas, podem se inscrever

Comentar
Compartilhar
02 FEV 201514h08

Já pensou em fazer parte de uma produção cinematográfica? Estão abertas as inscrições para as Oficinas Querô 2015. Jovens entre 14 e 18 anos, estudantes de escolas públicas de Santos, São Vicente, Praia Grande e Cubatão e de baixa renda familiar podem participar da seleção. As inscrições seguem até 15 de março e devem ser feitas pelo Facebook - fb.com/institutoquero -, no aplicativo “Inscrições Abertas”.

Ao todo, 40 jovens serão selecionados para a Turma Básica das Oficinas Querô. Durante um ano, com aulas cinco dias por semana realizadas nas salas e estúdios da Unimonte, os jovens passam por todas as etapas de uma produção audiovisual, atuando como roteiristas, diretores, cinegrafistas e outras funções do cinema, além de atividades de formação cidadã como empreendedorismo, humanismo e expressão verbal.

As aulas são ministradas por profissionais renomados do cinema nacional, que orientam os jovens durante as suas próprias produções realizadas durante o ano: um documentário e uma ficção. Em dezembro, os filmes são exibidos ao público em sessão especial realizada no Cine Roxy e inscritos nos principais festivais de cinema do país.

Ao todo, 40 jovens serão selecionados para a Turma Básica das Oficinas Querô (Foto: Divulgação)

Com patrocínio do Banco Votorantim, além de atividades para capacitação audiovisual, as Oficinas Querô oferecem aos jovens transporte gratuito da Viação Piracicaba, tratamento dentário pelo projeto Dentistas do Bem e acompanhamento social junto às famílias.

As aulas começam em abril, no período da tarde. Mais informações pelo site www.institutoquero.org, pela fanpage fb.com/institutoquero ou pelo email [email protected] Siga também instagram.com/institutoquero.

Instituto Querô

O Instituto Querô é uma organização da sociedade civil de interesse público que utiliza o audiovisual como ferramenta para estimular talentos, promover a inclusão cultural, transmitir valores, desenvolver o empreendedorismo e dar voz a jovens que vivem em condições de alto risco social. Desde 2006, já capacitou mais de 280 jovens e produziu 84 filmes. O resultado se traduz nos 35 prêmios conquistados, além de 6 prêmios institucionais.

Colunas

Contraponto