X
Cotidiano

Novo vírus do ciberataque global usa quatro fontes de distribuição, diz empresa

Um dos vírus descobertos é o malware - software malicioso destinado a se infiltrar em um computador para causar dano ou roubar informações

A companhia russa Kaspersky, uma das grandes empresas de cibersegurança do mundo, afirmou hoje (28) que o novo vírus que afetou instituições e grandes empresas do mundo todo ontem utiliza quatro fontes de distribuição. A informação é da Agência EFE.

Um dos vírus descobertos é o malware (software malicioso destinado a se infiltrar em um computador para causar dano ou roubar informações), que os analistas da Kaspersky apelidaram de "ExPetr", que é parecido com o vírus "Petya", também usado no ataque, mas tem um modo de operar completamente diferente, disse um porta-voz da empresa.

"Um dos vetores de infecção do 'ExPetr' é um código modificado 'Eternal Blue', também usado pelo 'WannaCry' (responsável pelo ataque em massa de maio passado). No entanto, com o 'WannaCry' tínhamos um único vetor, enquanto o 'ExPetr' utiliza pelo menos quatro fontes de distribuição", afirmou o porta-voz.

De acordo com os especialistas, em algumas ocasiões, para infectar os equipamentos das vítimas, os hackers utilizaram arquivos que eram disfarçados como uma atualização do Windows. Segundo eles, a pequena empresa ucraniana MeDoc é uma das fontes de distribuição do malware que afetou instituições e grandes empresas do mundo inteiro.

"Confirmamos que uma das fontes de distribuição do malware é a companhia de software ucraniana MeDoc. Seu site foi hackeado e os usuários receberam a atualização maliciosa de forma automática", explicou o representante da Kaspersky.

No entanto, a companhia ucraniana negou em sua página no Facebook que uma atualização de seus programas tenha sido a causa do contágio. "Como fornecedor responsável de software, checamos a segurança dos nossos protocolos. De qualquer forma, o contágio por meio do MeDoc foi só um dos vetores do ataque, que ocorreu por reenvio em massa mediante pishing (técnica de fraude online, utilizada por criminosos para roubar senhas e outras informações)", disse a empresa.

Segundo a Kaspersky, os países mais afetados pelo novo ataque cibernético são Ucrânia, Rússia, Polônia, Itália, Alemanha, Reino Unido, China e França. O problema afetou também o Brasil, onde o Hospital de Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, foi uma das instituições afetadas.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande tem 23 vagas de emprego disponíveis no PAT

Interessados devem comparecer ao local para retirar carta de encaminhamento

Cotidiano

Prefeitura de Mongaguá promove protagonismo infantil em minissérie

O projeto 'Liga do ECA' foi inspirado pela 'Liga da Justiça' e as crianças puderam construir seus personagens de acordo com os ensinamentos passados pelos educadores

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software