Garis de 130 cidades de São Paulo devem entrar em greve na próxima segunda

Entre as cidades que serão afetadas pela greve estão Osasco, Guarulhos, Bauru, o eixo ABC, Piracicaba, a Baixada Santista e Taboão

Comentar
Compartilhar
17 MAR 201517h16

Os garis de 130 cidades do Estado de São Paulo devem entrar em greve na segunda-feira (23). Segundo o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, os trabalhadores, que estão em estado de greve, não vão trabalhar a partir de segunda-feira caso o pedido de reajuste salarial oferecido pelas empresas não chegue a 8%. Hoje, as empresas acenam com 6,5%.

"As pessoas só percebem a importância desses trabalhadores quando eles param. Caso não ocorra uma melhora da proposta de 6,5%, e nós aceitamos no mínimo 8%, São Paulo ficará com lixo nas ruas a partir da próxima segunda-feira", disse Patah.

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco) é filiado à UGT e representa quase 100 mil trabalhadores. "A categoria está mobilizada e o exemplo do Rio de Janeiro é claro para todos: somente quando o lixo acumula nas ruas é que as autoridades dão conta da importância do trabalho deles", disse Patah.

Entre as cidades que serão afetadas pela greve, caso o sindicato mantenha a decisão tomada hoje, estão Osasco, Guarulhos, Bauru, o eixo ABC (Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano), Piracicaba, Baixada Santista e Taboão. Os sindicalistas da UGT afirmam que a situação pode ser prenúncio da negociação que será instalada na capital paulistana e em Campinas (SP) a partir de agosto.

Garis de 130 cidades do Estado de São Paulo devem entrar em greve na segunda-feira (Foto: Divulgação)