GOVERNO 3

Força-tarefa universitária tem primeira ação conjunta no Boqueirão

A primeira ação da Força-Tarefa Universitária, criada pela Prefeitura na semana passada, resultou no fechamento de um bar, na Rua Oswaldo Cruz, 300, por risco à saúde pública

Comentar
Compartilhar
13 FEV 201518h45

Cerca de 40 fiscais e guardas municipais, agentes de trânsito e de controle tráfego, policiais civis e militares atuaram de forma conjunta na noite de quinta (12), no bairro do Boqueirão, nas imediações das universidades Santa Cecília (Unisanta) e Lusíada (Unilus). A primeira ação da Força-Tarefa Universitária, criada pela Prefeitura na semana passada, resultou no fechamento de um bar, na Rua Oswaldo Cruz, 300, por risco à saúde pública.

Os profissionais da Vigilância Sanitária encontraram obra em andamento no mesmo local onde eram preparados alimentos. Já o estabelecimento Arena, localizado ao lado, no nº 302, recebeu intimação dos fiscais do Departamento de Fiscalização Empresarial e Atividades Viárias (Defemp), da Secretaria de Finanças (Sefin), por propaganda irregular na calçada, a qual foi retirada.

Também foram apreendidos panfletos irregulares de uma casa noturna, que eram distribuídos por propagandistas em frente aos comércios, e intimados três ambulantes licenciados por não possuírem extintores de incêndio e ausência de crachás dos auxiliares. “A ação foi um primeiro passo para verificarmos algumas irregularidades, porque estas operações vão continuar nos entornos das universidades e em outras localidades da Cidade”, destacou o comandante da Guarda Municipal, Flávio de Brito Jr.

A primeira ação conjunta foi realizada no bairro Boqueirão (Foto: Matheus Tagé/DL)

Blitz

Na confluência da Oswaldo Cruz com a Nabuco de Araújo, ocorreu blitz da base operacional móvel Direção Segura, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em parceria com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a Polícia Militar. Um total de 20 motoristas foi abordado e submetido ao teste do bafômetro, sem o registro de casos de presença de álcool no organismo. Entre eles estava o estudante de Administração Kleyton Souza, 24 anos. “Hoje em dia a violência está demais, com muita gente dirigindo embriagada. Acho que tem que ter mesmo esta ação, porque quem não deve não teme”.

Colunas

Contraponto